Ministério Público Federal pede impugnação da candidatura de Rubens Bomtempo

O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro recebeu no dia 2 de novembro, o pedido de recurso que pede a cassação de Rubens Bomtempo e reforça o impedimento do mesmo em concorrer ao pleito municipal. Entre os pontos alegados no pedido está o fato do candidato já ter sido condenado à suspensão de seus direitos políticos, em diversos processos, por ato doloso de improbidade administrativa.

No processo, que não corre em segredo de justiça, o Ministério Público Eleitoral e o advogado Paulo Pires, apontam que a decisão que liberou a candidatura de Rubens Bomtempo, foi equivocada. O pedido também traz informações sobre outros processos em que Bomtempo é citado, como o pedido de suspensão de seus direitos políticos por improbidade pelo não recolhimento de repasse ao INPAS.

E também a condenação de suspensão dos direitos políticos por convênios irregulares, como no caso da celebração irregular de convênio entre a Secretaria Municipal de Habitação e a Fundação Dom Manoel Pedro da Cunha Cintra.

A ação reforça a necessidade de se fazer valer a Lei da Ficha Limpa, cujo sustentáculo são os princípios da moralidade e probidade.

Em nota, a assessoria do candidato Rubens Bomtempo (PSB) informou que a coligação Unidos por Petrópolis apresentou suas considerações com base na própria sentença do juiz e que a sentença responderia os questionamentos feitos pelo Portal Giro. Sem mais detalhes, a assessoria informou ainda que Rubens Bomtempo confia que a decisão da Justiça Eleitoral será mantida e segue normalmente com seus compromissos de campanha.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também