Moeda Nacional, Real, Dinheiro, notas de real

Microempreendedor Individual (MEI) tem até dia 31 de agosto para regularizar débitos

A partir de setembro, a Receita Federal encaminhará os débitos para inscrição em Dívida Ativa.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Os microempreendedores individuais (MEI) que estão com parcelas da contribuição em atraso devem ficar atentos: o prazo para regularizar suas dívidas vai até o dia 31 de agosto. A situação pode ser resolvida pelo pagamento dos débitos, utilizando o Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS), ou parcelamento, que deve ser feito até o final deste mês. A Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico tem equipe no Espaço do Empreendedor para esclarecer dúvidas e oferecer informações sobre cadastro do MEI, pelo número 2242-8750.

“É muito importante que o empreendedor esteja atento a todos os prazos, principalmente do pagamento referente a contribuição. A Secretaria de Desenvolvimento está à disposição para esclarecer quaisquer dúvidas relacionadas as questões da inscrição para os microempreendedores”, destaca o secretário de Desenvolvimento Econômico, Marcelo Soares.

O diretor do Departamento de Desenvolvimento Econômico e responsável pelo Espaço Empreendedor, Eduardo Barbosa, lembra que as pessoas devem procurar o atendimento para realizarem o procedimento de regularização de seus registros de MEI.

“Estamos prontos para atender essa parcela de profissionais, com as orientações para que possam realizar o procedimento correto na hora de quitar ou parcelar seus débitos referente ao registro do MEI”, aponta ele.

Ele ainda reforça que, a partir de setembro, a Receita Federal encaminhará os débitos apurados nas Declarações Anuais Simplificadas para o Microempreendedor Individual (DASN-Simei) não regularizados para inscrição em Dívida Ativa. “Essa dívida será cobrada na Justiça com juros e os demais encargos que são previstos em lei. Por isso oriento os empreendedores que procurem nosso atendimento”.

MEIs podem perder registro por conta de dívidas

Com a inscrição em dívida ativa, o MEI deixa de ser segurado do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS); tem o CNPJ cancelado; é excluído dos regimes Simples Nacional e Simei pela Receita Federal, estados e municípios, além de ter dificuldade na obtenção de financiamentos e empréstimos.

Se o microempreendedor não regularizar sua situação, o registro da dívida previdenciária (INSS) e demais tributos federais serão encaminhados à Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN) para inscrição em Dívida Ativa da União, com acréscimo de 20%. A dívida relativa a ISS ou ICMS será transferida ao município, conforme o caso, para inscrição em Dívida Ativa municipal, com acréscimo de encargos de acordo com a legislação.

“Após a inscrição em Dívida Ativa, o recolhimento do débito de INSS deverá ser feito em DAS DAU (documento específico para Dívida Ativa da União), enquanto o de ISS e ICMS diretamente em guia própria do município”, complementa Eduardo Barbosa.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.