A Secretaria de Meio Ambiente está instalando 400 placas de orientação e de sinalização em cachoeiras, trilhas ecológicas e áreas de preservação ambiental da cidade. A medida tem como objetivo aumentar a segurança dos frequentadores, alertando sobre os riscos existentes nestes locais, além de conscientizar a população sobre a importância do descarte correto do lixo produzido em áreas verdes. A ação também busca proteger as regiões de Mata Atlântica existentes no município, que concentram vasta quantidade de animais devido às condições de vida proporcionadas pelo clima e também pelos grandes habitats naturais.

A colocação da sinalização começa na próxima sexta-feira (27.07) pelo Poço do Tchê, no Bonfim. As placas trazem dicas de segurança, como alerta para as cheias repentinas, correnteza forte e pedras escorregadias, além de questões de educação ambiental, como não alimentar os animais silvestres ou deixar restos de comidas e bebidas. A ação acontece no período em que o número de visitantes nestes locais aumenta por causa da temporada de montanhismo, que foi aberta em maio.

“O grande número de pessoas que frequentam as trilhas ecológicas e as cachoeiras da cidade exige que o governo ofereça mais segurança, para que um momento de alegria e diversão não se torne de tristeza ou preocupação com um acidente. É fundamental para a segurança de todos que a população respeite e obedeça as placas de sinalização que estão sendo instaladas. Além disso, também trabalhamos questões de educação ambiental, contribuindo para a preservação dessas áreas”, explica o secretário de Meio Ambiente, Fred Procópio, destacando a importância da orientação para os frequentadores, garantindo mais segurança e a preservação ambiental.

As placas serão colocadas em locais estratégicos e de fácil visibilidade e nos pontos de maior risco de acidentes. No último dia 8 de julho, uma mulher de 39 anos foi resgatada pelos militares do Corpo de Bombeiros no Castelo do Açu, que é uma das áreas mais procuradas por quem faz trilhas no Parque Nacional da Serra dos Órgãos (Parnaso).A ideia da prefeitura é garantir mais segurança além de reduzir as ocorrências nestes ambientes.

“A orientação e a sinalização para a população vai contribuir para reduzir o número de pessoas perdidas e de acidentes nestes locais. É uma iniciativa bastante positiva de prevenção, já que muitas pessoas frequentam esses locais durante o inverno”, disse o comandante do 15° GBM, tenente-coronel Ramon Camilo.

A novidade está sendo vista com bons olhos pelos grupos que fazem das cachoeiras ou trilhas uma atividade física e de lazer. O representante do Trilhas na Serra, Fabiano Rodrigues, lembra da importância da sinalização para as pessoas que não estão acostumadas a caminhar nestes locais. Nascido e criado em Petrópolis, ele é formado em Ciências da Computação e Ciências Biológicas, além de ser pós-graduado em Educação Ambiental e Sustentabilidade.

“É uma questão que contribui demais com a educação ambiental, alertando a população para não alimentar os animais silvestres e evitar fogueiras. É importante que as pessoas tenham mais consciência e preservem as nossas áreas verdes. De alguma maneira, usamos o grupo Trilhas na Serra para promover ações de educação ambiental, sempre com a presença de crianças e adultos. Em uma cidade como a nossa, uma ação como essa é importantíssima para os frequentadores”, disse Fabiano.

O designer gráfico Guilherme Caiaffa, de 25 anos, gosta de curtir os finais de semana nas cachoeiras e nas trilhas que a natureza da cidade oferece. Acostumado com esse tipo de desafio, ele lembra que as pessoas que fazem os percursos pela primeira vez podem encontrar dificuldades. Ele também ressalta a importância de preservar as áreas verdes existentes no município.

“Acho importantíssimo a sinalização das trilhas. Tanto para nós petropolitanos quanto para os turistas, que além de virem conhecer os pontos turísticos da nossa cidade, fazem esse tipo de atividade. Isso enriquece muito mais a experiência de quem está conhecendo o lugar. Outro fator, que considero o mais importante de todos, é a conscientização sobre a preservação do lugar. Não podem faltar placas ao longo do caminho, lembrando as pessoas de não jogarem lixo na natureza, embora essa atitude seja algo que deveria estar no subconsciente de cada um. Precisamos valorizar a natureza que temos em nossa cidade, pois as trilhas que a cercam são um privilégio que muitas cidades não tem”, afirma Guilherme.