Foto: Reprodução da Internet

MEC entrega certificação a redes de ensino do Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares

A iniciativa busca reconhecer escolas que adotaram o modelo de gestão na área educacional, didático-pedagógica e administrativa.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

O Ministério da Educação (MEC) promoveu, nesta terça-feira (7), a entrega de certificação às escolas do país que adotaram o modelo cívico-militar e foram destaques na gestão. A entrega é fruto do reconhecimento às escolas que atenderam aos objetivos estratégicos do Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares (Pecim), implantado por meio de decreto presidencial em 2019.  

Para receber a certificação, as escolas tiveram que atender a objetivos previstos no Decreto nº 10.004 de 5 de setembro de 2019. O ministro da Educação, Victor Godoy, participou da cerimônia de entrega dos certificados, realizada em Brasília, e destacou a importância do programa.  

“O MEC tem diversas iniciativas para atender o desafio de levar uma educação de qualidade para todo o país e uma dessas medidas é a escola cívico-militar, uma política que deu certo. São poucas escolas, mas, para o Ministério da Educação, cada aluno importa, cada vida importa. Então, se nós podemos, se temos condições de implantar um modelo de sucesso, baseado em uma gestão de excelência, nós podemos mostrar para a sociedade brasileira que é possível expandir e exercer um papel fundamental para a melhoria da educação”, afirmou o ministro.  

Ainda de acordo com Victor Godoy, o MEC trabalha em diversas frentes: educação básica, superior, tecnológica, entre outras. “Por isso, a educação é um sistema, e esse sistema tem que funcionar. Então, a nossa Política Nacional de Recuperação das Aprendizagens, lançada no mês passado, junto com todas essas iniciativas, traz para todos nós uma grande esperança para o futuro do país”, disse. 

Com a realização do processo de certificação do nível básico e do nível intermediário, em 2022, foram certificadas 58 escolas cívico-militares no nível básico e 43 escolas no nível intermediário. 

O secretário de Educação Básica do MEC, Mauro Rabelo, também esteve presente na cerimônia e reforçou a importância da medida. “Este é um programa que contribui para a redução da violência nas escolas, na redução da evasão escolar e, principalmente, na recuperação das aprendizagens, o principal foco da Pasta para 2022”, disse.  

De acordo com o diretor de Políticas para Escolas Cívico-Militares do MEC, Gilson Passos, o Pecim contribui para a melhoria da educação básica brasileira. “Esse é um programa nacional, o qual tem adesão de forma voluntária por parte dos entes federativos, e que já atende a cerca de 111 mil famílias em todo país. São vários parceiros envolvidos, com foco em um modelo de gestão escolar de excelência”, destacou. 

A certificação é realizada em parceria com o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) e a Universidade de Brasília (UnB) e adota uma metodologia que abarca: questionários, entrevistas, visitas in loco (nível intermediário) e análise dos dados secundários das escolas presentes no Censo Escolar divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). 

Além da certificação, foram entregues placas em reconhecimento às escolas destaques nos objetivos estratégicos do Pecim e também realizado o lançamento do livro “O Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares: da concepção do modelo aos primeiros resultados”. 

Estiveram presentes no evento, o secretário-executivo do MEC, José Barreto; a diretora do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), Cecília Leite; a representante do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios, a promotora Luciana Valdez; secretários estaduais e municipais, diretores e profissionais das escolas cívico-militares e parlamentares.  

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.