Com o objetivo de alertar a população sobre a importância do diagnóstico e tratamento das doenças de Crohn e Retocolite ulcerativa, foi realizada neste sábado a caminhada Maio Roxo. Mais de 250 pessoas participaram da Caminhada Maio Roxo. A mobilização aconteceu neste sábado (19.05) no Centro Histórico e tem o apoio da prefeitura. A concentração começou as 13h na Praça da Liberdade, com a participação do Coral Dó Ré Mi e percorreu as ruas do Centro Histórico.

O coordenador do Grupo RetoCrohn Petrópolis e membro do Grupo de Estudo de Doença Inflamatória Intestinal do Brasil (GEDIIB) José Francisco da Silva Vieira, destaca que a estimativa é de que mais de cinco milhões de pessoas tenham uma das duas doenças.

“O Dia Internacional da Doença Inflamatória Intestinal é no dia 19 de Maio, então criou-se o Maio Roxo para que haja uma divulgação e conscientização da doença, uma vez que identificamos que a doença vem crescendo na população”, disse José Francisco.

A professora Edna Benevides de 48 anos, descobriu a doença no ano passado e participou da Caminhada pela primeira vez. “Conscientizar é um passo que Petrópolis precisa. A divulgação é despertar curiosidade do que é a doença”, disse a professora. Edna chegou a perder 8 quilos em dois meses, com muitas crises de dores abdominais e conta que com o tratamento leva uma vida normal. “Hoje convivo bem e sem crise, faço exercício físico e mantenho uma alimentação equilibrada com acompanhamento de um nutricionista e é possível continuar com as minhas atividades e viver bem” relata.

As doenças de Crohn e Retocolite Ulcerativa são mais comuns em pessoas entre 14 e 40 anos, e ainda são pouco conhecidas pela população. A cura ainda não foi encontrada, mas o tratamento melhora a qualidade de vida dos pacientes. Os medicamentos são disponibilizados gratuitamente pelo Ministério da Saúde.