Maio Amarelo é aberto oficialmente Evento ocorreu no Salão Nobre da UCP e foi marcado pela emoção do depoimento de uma vítima de acidente de trânsito

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

O depoimento de Márcio da Silva Alcântara, vítima de um acidente de trânsito em 1991, aos 21 anos, emocionou o público na abertura da edição 2018 do Maio Amarelo, no Salão Nobre da Universidade Católica de Petrópolis, na noite desta quarta-feira (02.05). O evento, que marca o início das ações que visam conscientizar a população sobre os altos índices de acidentes de trânsito, também contou com a premiação da turma da E.M. Salvador Kling, que fez o vídeo com música e dança dentro do tema “Nós Somos o Trânsito” e arrancou aplausos do público presente. Ao longo do mês, o movimento vai contar com palestras, simulação de socorro e caminhada que buscam trazer à tona a importância de a população se conscientizar que, no trânsito, qualquer pessoa está sujeita a ser uma vítima.

 

Márcio foi uma delas. No seu depoimento, ele contou que no dia do acidente que o deixou na cadeira de rodas, ele havia consumido bebida alcoólica antes de subir na motocicleta para ir ao trabalho. Eram cinco da manhã e ele precisava chegar às sete, mas isso nunca aconteceu. A mistura fatal fez com que Márcio atingisse um carro a 120 Km/h, voasse a metros de distância em direção ao asfalto e quebrasse duas vértebras do pescoço após o capacete que usava se partir ao meio. Como consequência, seu corpo ficou totalmente paralisado do pescoço para baixo, deixando o então jovem totalmente dependente de outras pessoas para fazer qualquer coisa.

 

“Só 15 anos depois um amigo me chamou para praticar esportes e então eu saí de cima da cama. Com esforço eu consegui recuperar parte do movimento dos braços, mas a minha mão direita não se mexe e a esquerda apenas 10%. Sou dependente da minha mãe para tudo, ela me veste, me dá banho, enfim, ela parou totalmente a vida dela para cuidar de mim. Perdi tudo o que eu tinha. Meus amigos se afastaram de mim e apenas a minha mãe compartilha comigo todos os dias a consequência da minha irresponsabilidade. Então, eu não desejo isso para ninguém, para a família de ninguém, porque eu sei como é doloroso. Todos os dias eu peço a Deus que cuide da minha mãe, não só porque ela cuida de mim, mas porque ela parou toda a sua vida por isso”, conta Márcio.

 

Atualmente, Márcio se dedica a contar sua experiência nas blitzen da Lei Seca no estado do Rio de Janeiro. A iniciativa, ele explica, é para que as pessoas não repitam seu erro. Que não misturem direção e bebida. “Hoje eu trabalho participando das blitzen porque quero dar orgulho à minha mãe, que eu tirei quando fui um irresponsável e peguei naquela motocicleta depois de beber”, conta.

 

Em Petrópolis, o anuário estatístico de trânsito referente a 2016 – o mais recente divulgado pela CPTrans, aponta que houve o crescimento expressivo no número de veículos em Petrópolis: em 15 anos, houve acréscimo de 83% de carros nas ruas da cidade chegando a 162 mil em 2016 sendo 16,6% ou 18.720, motocicletas. Há informações, também, sobre o decréscimo de acidentes a partir de 2013, quando a PMERJ implantou o registro eletrônico de acidentes sem vítimas, e que, na maioria das vezes, não são registrados pelos envolvidos. Naquele ano, o número de acidentes chegou a 2.205 com 1.246 vítimas – em 2016 o registro caiu para 1.727, mas o número de vítimas subiu a 1.428.

 

“Trabalhamos para evitar que esses números cresçam, que depoimentos como este sejam repetidos. Mas, é importante que todos nós façamos a nossa parte, porque o trânsito é um espaço compartilhado e a maioria dos acidentes acontecem por imprudência. Em 2016, por exemplo, tivemos 18 pessoas que morreram no trânsito e em 2017 foram 17 mortes em cena. Nossa intenção é chegar a zero vidas sendo ceifadas dessa maneira e vamos buscar todas as formas de fazer isso”, destacou o diretor-presidente da CPTrans, Maurinho Branco.

 

Vídeo que mistura música, dança e conscientização leva o 1º lugar

Uma das formas é despertar a consciência por um trânsito mais seguro ainda na infância. Foi por isso que a CPTrans, em parceria com a Secretaria de Educação, pediu às escolas do município que engajassem as crianças no assunto, e propôs que elas criassem vídeos de até três minutos dentro do tema “Nós Somos o Trânsito”. O resultado foi uma mistura de muita criatividade e as três finalistas foram a EM Beatriz Zaleski, que ficou em terceiro lugar, a EM Jandira Bordignon, foi eleita em segundo e o vídeo da Salvador Kling o grande vencedor. Todas as instituições foram premiadas com troféus, medalhas e lanche para os estudantes.

 

O vídeo vencedor teve como base a música escrita pelos próprios estudantes. Ludmila Neves, Vitória Esteves, Ana Clara Bessa, Carlos André Esteves e Kauan André de Souza foram os cinco estudantes responsáveis por dar forma ao tema proposto. No vídeo, gravado com o celular, eles puderam colocar toda a criatividade, além de destacar a importância do cuidado no trânsito. “Recebemos a proposta e conversamos com os alunos que prontamente se dispuseram a participar. O aprendizado vai além do vídeo, eles levam a mensagem para a casa, são crianças e, como tal, pessoas que conseguem transformar. O resultado desse trabalho, com certeza, vem com eles sendo pedestres responsáveis e motoristas conscientes no futuro”, destaca a diretora adjunta da Salvador Kling, Marcela Cardozo.

 

A secretária interina de Educação, Sâmea Ázara, destaca que as crianças serão multiplicadoras. “Essa é uma iniciativa essencial, porque desde a infância as crianças já estão trabalhando com o processo de conscientização. Isso traz consequências positivas a curto e longo prazo. Elas conseguirão levar isso às suas famílias e amigos, além de levar como lição para toda a vida”, destaca.

 

Também participaram da abertura o secretário de Saúde, Silmar Fortes; a secretária de Assistência Social, Denise Quintella; o secretário de Controle Interno, Fábio Alves; o coordenador de Planejamento e Gestão Estratégica, Roberto Rizzo; a coordenadora do Gabinete de Cidadania, Ana Maria Rattes; o coordenador do Procon, Bernardo Sabrá; o coordenador de Juventude, Wesley Barreto e o capitão Francisco Kraisher, 26º Batalhão do Corpo de Bombeiros.

 

Confira a programação do Maio Amarelo em Petrópolis:

04.05 – Bitz Educativa Animada na Praça D. Pedro, a partir das 11h

10.05 – Simulação de acidentes com o Corpo de Bombeiros, na Praça D. Pedro, às 10h

11.05 – Bitz Educativa Animada na Praça D. Pedro, a partir das 11h

18.05 – Cristalização de para-brisas, na Praça D. Pedro de 10 às 17h

18.05 – Bitz Educativa Animada na Praça D. Pedro, a partir das 11h

25.05 – Bitz Educativa Animada na Praça D. Pedro, a partir das 11h

26.05 – Caminhada Maio Amarelo na Praça D. Pedro a partir das 14h

Fonte: Prefeitura de Petrópolis

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.