Durante todo o dia, nesta quinta-feira (22), o Plenário discutiu preliminarmente a validade do habeas corpus. A discussão foi interrompida para a realização de uma votação solicitando o adiamento da sessão. O adiamento foi aprovado para o próximo dia 4 de abril. 7 integrantes votaram a favor e 4 contra o adiamento da discussão.

Até o final desta discussão, a maioria havia votado por conceder liminar que impede prisão de Lula antes do fim do julgamento. Sendo assim, o ex-presidente Lula não poderá ser preso até o dia 4 de abril, quando será retomada a discussão da validade do habeas corpus.