Foto: Divulgação

Largados e Pelados Brasil vira arma da Discovery para vender streaming no Brasil

O novo programa não será exibido nos canais lineares da Discovery e será exlusivo para assinantes da plataforma.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

O Discovery+ chega ao Brasil na próxima terça-feira (9) com uma arma secreta para vender assinaturas: a adaptação brasileira do reality Largados e Pelados, fenômeno na TV paga em sua versão americana.

O novo programa não será exibido nos canais lineares da Discovery e será exlusivo para assinantes da plataforma. Em evento de apresentação do Discovery+ para a imprensa na manhã desta quinta-feira (4), foram anunciados os preços que serão cobrados. No plano mensal, a plataforma custará R$ 21,90. Se optar pela assinatura anual, o cliente pagará R$ 226,80 (ou R$ 18,90 por mês). Quem assina o Globoplay terá desconto de R$ 9,90 em um pacote combo e pagará R$ 34,90 pelos dois serviços

Para manter os assinantes fanáticos por Largados e Pelados, a estratégia de lançamento será diferenciada: na estreia da plataforma, os dois primeiros episódios estarão disponíveis. Outros capítulos serão adicionados semanalmente.

O interesse no reality brasileiro ficou claro assim que as inscrições foram abertas no site da Discovery. Só nos primeiros 12 dias, 10 mil pessoas realizaram a inscrição. Curiosamente, pessoas de até 94 anos mostraram vontade de tentar provar a resistência em lugares inóspitos, e sem nenhuma roupa.

Depois de avaliar os inscritos, a equipe escolheu dez especialistas em sobrevivência, que passam 21 dias e 21 noites em busca da própria comida e de maneiras de sobreviver Às intempéries da natureza em lugares que o homem ainda não transformou.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Netflix negocia parceria com o SBT

A Netflix está visando futuros negócios no SBT. De acordo com informações do jornalista Flavio Ricco, colunista do portal R&, uma comitiva do serviço de

Comentários estão fechados.