Justiça do Rio determina que BRT separe ônibus exclusivos para as mulheres SuperVia que administra as ferrovias já operam nesse formato

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

O projeto de lei foi votado na Câmara em 2017, porém vetado pelo atual prefeito da cidade do Rio de Janeiro Marcelo Crivella, fazendo com que a emenda voltasse para a bancada dos vereadores. Eles derrubaram o veto de Crivella e aprovaram a lei, que já devia estar em vigor desde fevereiro desse ano.

O desembargador Murilo Kieling entendeu que não há motivos para que a determinação da Justiça não seja cumprida e o consórcio BRT já entrou com recursos alegando que não há condições de separar espaço para as mulheres em horários de pico pela dificuldade de coordenar a quantidade de pessoas que utilizam o serviço nessas partes do dia.

A lotação exclusiva seria na parte de trás dos ônibus biarticulados no período de 6h às 10h e 17h às 21h. Nesse mesmo período, os trens administrados pela SuperVia já operam com vagões exclusivos para elas.

Por: Gabriel Malheiros

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.