Foto: Reprodução/Google Maps

Juíza nega prisão de criminoso que atirou em atendente do McDonald´s

Juíza alegou que o reconhecimento fotográfico não seria o suficiente para realizar a prisão do bombeiro.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Uma juíza do plantão judicial, negou, na tarde desta segunda-feira (9), o pedido de prisão temporária do criminoso, oficial do Corpo de Bombeiros, que atirou em um atendente do McDonald´s no bairro Taquara, no Rio de Janeiro, na madrugada de segunda-feira.

O pedido de prisão foi feito pelo delegado da 32ª DP, Angelo José Lages Machado, que investiga o caso. Ele alegou que o gerente do estabelecimento, que estava no local e presenciou todo o ocorrido, reconheceu o atirador por meio de fotos e não teve dúvidas.

“A prisão temporária é medida excepcionalíssima, devendo ser usada apenas quando houver elementos concretos de autoria. Compulsando os autos, constata-se que o investigado foi identificado por meio de vídeos que circulam nas redes sociais, e fotografias, também extraídas de redes sociais, não estando devidamente esclarecido no inquérito a origem de tais elementos probatórios, e a forma como foram obtidos”, disse a juíza plantonista Isabel Teresa Pinto Coelho Diniz.

A juíza alegou que o reconhecimento fotográfico não seria o suficiente para realizar a prisão do bombeiro.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.