Ilustrada inúmeras vezes nas manchetes dos noticiários e presença constante nas rodas de conversa, a ética no atual cenário político do país também é motivo de debate nas salas de aula. Tema de grande profundidade na sociedade brasileira, a corrupção está em todo lugar e relacionada a atos e atitudes que são vivenciados por gerações. Por isso, a Escola SESI Petrópolis resolveu falar abertamente do assunto e propor uma reflexão das atitudes, diferenças, individualidades e da vida em comunidade e frear este processo.

Alunos da Escola SESI Jacarepaguá jogam o EduComÉtica.

Os alunos do 6º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Médio poderão falar sobre o tema utilizando o jogo de tabuleiro EduComÉtica, que tem como principal objetivo debater a ética a partir de situações que envolvem o cotidiano das crianças e dos adolescentes. Os alunos respondem a perguntas sobre como agir quando encontrar uma carteira de dinheiro perdida, receber um troco a mais no supermercado, presenciar um racha entre carros ou mesmo ver um amigo sendo vítima de bullying. A atividade vai impactar mais de 350 crianças e jovens. Por todo o Estado, serão 6.400 estudantes das unidades SESI impactados entre agosto e dezembro deste ano.

“A escola é uma das primeiras experiências de vida em sociedade, por isso é fundamental como espaço de fomento e aprendizagem sobre o combate à corrupção, especialmente neste momento em que o Brasil passa por uma crise não só econômica, mas principalmente ética”, explica a Coordenadora de Compliance e também do Comitê Executivo de Integridade do Sistema FIRJAN, Luana Pagani. “Corrupção não é só desvio de verbas públicas, mas todas as situações que envolvem a conquista de benefícios por meio de atos desonestos. O jogo é um canal interativo que apresenta justamente situações do dia-a-dia desses jovens que formarão a próxima geração de profissionais, empreendedores e políticos do país”, reforça Pagani.

O tema vem sendo discutido exaustivamente nas salas de aula. Ana Paula Lemos, diretora da Escola SESI Petrópolis, acredita que esta é mais uma forma de debater questões que são vividas em diversas situações cotidianas. “É um tema que não se esgota e, por isso, batemos tanto nesta tecla nas aulas. É sempre importante refletirmos com o suporte da filosofia nossas ações cotidianas. Nada melhor que realizarmos esta discussão através de um jogo onde será possível vivenciar a cooperação e o diálogo exercendo assim a cidadania”, afirma.

Programa de Integridade é ação do Sistema FIRJAN de combate à corrupção
O jogo “EducomÉtica” faz parte do Programa de Integridade, uma iniciativa do Sistema FIRJAN que reúne um conjunto de ações de combate à corrupção e de promoção da integridade, ética e transparência. Além da atuação nas Escolas SESI, o programa contempla outras ações de compliance, como análise de riscos, monitoramento e capacitações dentro e fora da organização, reforçando a aplicação efetiva dos códigos de conduta ética e incentivando a comunicação de irregularidades. O objetivo é detectar e sanar desvios e atos ilícitos praticados contra o interesse público, da indústria e da própria FIRJAN.

Destinado a colaboradores, gestores, fornecedores, prestadores de serviço e associados da FIRJAN, o Programa de Integridade tem o combate à corrupção como seu principal pilar de atuação. A corrupção aumenta a incerteza dos agentes econômicos; dificulta o acesso aos mercados internacionais de crédito; abala a confiança no governo; corrói os padrões éticos dos cidadãos; cria desigualdade de renda e desestabiliza a economia, sendo fator de fechamento de empresas e postos de trabalho.

 

Fonte: FIRJAN

Crédito das fotos: Vinicius Magalhães (as fotos são de estudantes da Escola SESI de Jacarepaguá)