Jogador Robinho é condenado a nove anos de prisão por estupro coletivo

Apesar da condenação, a dupla não poderá ser extraditada para o país italiano, visto que a Constituição de 1988 proíbe a extradição de brasileiros.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Por: Samuel Freitas

O jogador Robinho e seu amigo, Ricardo Falco, foram condenados, nesta quarta-feira (19), pela Corte de Cassação da Itália, última instância do judiciário, a nove anos de prisão, por violência sexual de grupo. A previsão é que a sentença saia nos próximos 30 dias.

Apesar da condenação, a dupla não poderá ser extraditada para o país italiano, visto que a Constituição de 1988 proíbe a extradição de brasileiros. Além disso, o tratado de cooperação judiciária em matéria penal entre os dois países, ainda está em vigor, o que significa que condenações impostas pela justiça italiana não são aplicadas no Brasil.

Porém, Robinho e Falco ainda podem ser presos mesmo se não forem à Itália. Isso pode acontecer caso eles façam uma viagem ao exterior para um local onde um pedido internacional de prisão possa ser cumprido, o que é possível em qualquer país da União Europeia.

Os dois foram condenados no artigo “609 bis” do código penal italiano, que diz sobre a participação de duas ou mais pessoas em um ato de violência sexual. De acordo com a vítima, que completará 32 anos nesta sexta-feira (21), ela foi embriagada e abusada sexualmente por seis homens. O crime ocorreu no dia 22 de janeiro de 2013, em uma boate de Milão, chamada Sio Café.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.