O Estado do Rio de Janeiro tem a pior taxa de desemprego da Região Sudeste que, no segundo trimestre deste ano, chegou a quase 16% da população, segundo o IBGE. O Rio segue sem conseguir se recuperar da crise política e econômica dos últimos anos, e em Petrópolis, o desemprego também é sentido, mas em determinadas áreas, como a de tecnologia por exemplo, existem vagas e falta capacitação profissional.

Tendo em vista esses dados, o candidato a Deputado Federal pelo PDT, Jamil Sabrá, tem a vontade de investir em cursos profissionalizantes para melhor capacitação dos jovens para o mercado de trabalho, nas principais vertentes econômicas da cidade: turismo, têxtil, cerveja produção rural e a tecnologia.

  • Nós temos aqui o Laboratório Nacional de Computação Científica, na área de pesquisa e capacitação, e o Pólo Tecnológico da Quitandinha, onde várias empresas de tecnologia estão instaladas. Precisamos capacitar nossos jovens para trabalhar nesta área – comentou Jamil.

A tecnologia também pode ser uma aliada para atrair o interesse dos jovens para a produção rural, haja visto que Petrópolis é o maior produtor de orgânicos do estado. Uma das vontades dos produtores é que os filhos possam dar continuidade a este trabalho feito há pelo menos 40 anos na região do Brejal, que fica no limite do município, entre a Posse e Areal.

  • É possível desenvolver aplicativos voltados para o monitoramento do clima, do solo e mapeamento de área, por exemplo. É a modernização de um trabalho extremamente importante para diversas famílias e para a economia no município – justificou o candidato, Jamil Sabrá.

Uma outra área em expansão não só em Petrópolis, mas no mundo todo, é a das cervejas artesanais. Com a Lei das Microcervejarias que facilitou a instalação de novas cervejarias na cidade, vários empregos diretos e indiretos foram criados. Trazer capacitação nesta área é uma forma não só de expandir este mercado, mas também de desenvolver um calendário turístico que envolve não só Petrópolis, mas outras cidades da Região Serrana. Um outro desafio é recuperar a autonomia da Rua Teresa. que nos últimos anos, foi invadido por produtos chineses, após ser considerado o maior Pólo de roupas a céu aberto da América Latina. O resultado hoje é uma enorme quantidade de lojas vazias na Rua Teresa, já que o investimento encareceu, a concorrência com produtos mais baratos se torna mais difícil.

  • Não podemos perder esta vocação, por isso é importante não só capacitação nesta área, como também incentivos para que os empresários voltem a fabricar e ter condições de manter os seus negócios na cidade – completou Sabrá.

Por: Redação Portal Giro