Jamil Sabrá fiscaliza cobrança de rotativo proporcional após configuração de sistema concluído

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Sancionada no último dia 13 de fevereiro, o vereador Jamil Sabrá saiu às ruas nesta segunda-feira (02.03) para fiscalizar o cumprimento da lei de sua autoria que torna a cobrança do estacionamento rotativo proporcional ao tempo de utilização. A portaria que regulamenta a lei foi publicada em Diário Oficial pela CPTrans e a subconcessionária, Sinal Vida, concluiu a configuração de todo o sistema de cobrança na cidade, garantindo o cumprimento da legislação.

“Benefício para o petropolitano e para e para as pessoas que vêm visitar a nossa cidade. Trabalhamos para tornar justa a cobrança, ou seja, o usuário paga pela fração de tempo que usar, desde que tenha colocado o primeiro período de utilização. A lei torna justa e correta o modo como a cobrança é realizada. Estive na rua conversando com usuários e controladores, que confirmaram que a lei já está adequada e funcionando de maneira efetiva para os usuários”, explica o autor da lei, o vereador Jamil Sabrá.

Com a portaria 004 de 18 de fevereiro de 2020, publicada no D.O. do último dia 19 e a regulamentação realizada, o usuário que colocou, por exemplo, R$ 1,75 para parar seu veículo em uma das vagas disponíveis durante 30 minutos, mas acabou precisando se ausentar durante uma hora, não precisa mais pagar a tarifa de R$ 42. Neste caso, ele pagará mais R$ 1,75 por conta do período excedente. Para isso, ele deve procurar qualquer um dos canais de comunicação.

“A portaria está adequada ao que propusemos em reuniões, que nada mais é do que o a representação das demandas dos usuários ao nosso gabinete. Na prática, tornar a cobrança proporcional só dependia de vontade política e estive nesta luta desde que assumi meu mandato, buscando um caminho que adequado e condizente com o que a população precisava”, destaca Sabrá.

A lei busca garantir, ao bom usuário, a regularidade de maneira adequada. Ou seja, aqueles que deixam os veículos parados sem sequer colocar a primeira fração de 30 minutos, ainda arcarão com a taxa de R$ 42. Após parar o carro, o usuário tem até 15 minutos para utilizar qualquer meio disponibilizado pela Sinal Vida para regularizar o veículo.

E, para quem usa, a regulamentação é motivo para comemorar. Como o representante comercial Antônio Marcos Ferreira, que muitas vezes precisa usar o carro para ir trabalhar. “Eu fui notificado três vezes. Uma vez, admito, esqueci completamente de regularizar, mas as outras duas foi por questão de minutos. É complicado porque andar de carro já tava virando um tormento considerando a falta de opções para parar na cidade e, ainda, o risco de ter que pagar tão caro por uma vaga”, destacou.

Além disso, caso a placa daquele veículo não possua histórico no sistema de controle da subconcessionária anterior à data da emissão da cobrança de uma tarifa de regulamentação, o usuário terá direito ao cancelamento da mesma, pagando apenas o período compreendido entre o horário em que o veículo foi registrado e quando o usuário foi regularizar o bilhete.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.