Inquérito que apurava envolvimento de Aécio Neves em corrupção em Furnas é arquivado

A investigação sobre o parlamentar era um desdobramento da Operação Lava Jato.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, determinou o arquivamento nesta segunda-feira (22) do inquérito que investigava o deputado Aécio Neves (PSDB-MG) por envolvimento em supostos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro relacionados ao recebimento de vantagens por empresas contratadas por Furnas.

Gilmar atendeu a um pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR). Em manifestação enviada ao STF, Lindôra Araújo, subprocuradora-geral da República, afirmou que as investigações não reuniram provas contra o deputado.

A investigação sobre o parlamentar era um desdobramento da Operação Lava Jato. Aécio foi considerado suspeito de receber propinas por intermédio do ex-diretor de Furnas, Dimas Toledo, a partir de dinheiro desviado em contratos com empresas terceirizadas.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também

CPI da Covid pode convocar Governadores, Ministros e Prefeitos na próxima semana

Os parlamentares sugerem a convocação dos ministros Paulo Guedes (Economia), Walter Braga Netto (Defesa e ex-Casa Civil), Luiz Eduardo Ramos (Casa Civil e ex-Secretaria de Governo), Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia e Inovações) e Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos). O ministro Wagner Rosário, da Controladoria Geral da União (CGU), é chamado a depor em um pedido de convite. Há ainda requerimentos para a convocação do ex-ministro Ernesto Araújo (Relações Exteriores).