Indústria é maior geradora de empregos em Petrópolis em 2022, aponta Firjan

Nos primeiros meses do ano, os setores industriais e de serviços garantiram o saldo positivo de novos postos de trabalho no município
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

A análise feita pela Firjan, a partir da plataforma Retratos Regionais, revela que a indústria (+1.909) foi a maior geradora de empregos em Petrópolis, de janeiro a maio deste ano. O setor de serviços (+659) também garantiu novas vagas nos cinco primeiros meses, contribuindo com o saldo positivo da cidade.  Os dados agregados de todos os setores econômicos (indústria, comércio, serviços e agropecuária) mostram ainda que a cidade acumula 1.946 novos postos de trabalho, mesmo com a perda dos empregos pelo comércio (-621).

No mês de maio, o setor industrial (+252) e serviços (+254) foram os que mais geraram empregos. O comércio (+63) apresentou pela primeira vez, desde dezembro de 2021,  saldo positivo nas contratações.

“Esses números nos deixam muito felizes e otimistas em relação aos próximos meses. Percebemos que a nossa indústria tem mantido e gerado novos empregos, o que demonstra a força do setor e a potência para o desenvolvimento econômico do município. O nosso trabalho continua focado em favorecer o ambiente de negócios para dar suporte às empresas que já estão instaladas aqui e para que novas possam chegar, mantendo assim a sustentabilidade dos empregos e a geração de outros”, ressalta Júlio Talon, presidente da Firjan Serrana.

Números no estado

O estado do Rio de Janeiro abriu, em maio, 20.226 novos postos de trabalho formais, com todos os grandes setores econômicos apresentando saldo positivo. Análise feita pela Firjan a partir da plataforma Retratos Regionais aponta que o setor de Serviços (+10.093) foi o que mais abriu vagas, seguido de Indústria e Construção (+7.588), Comércio (+1.555) e Agropecuária (+990).

A federação ressalta que, na análise municipal, 72 das 92 cidades fluminenses registraram saldo positivo em maio, com destaque para Capital (+7,3 mil), Campos dos Goytacazes (+1,9 mil), Itaperuna (+1,6 mil), Duque de Caxias (+1,5 mil) e Nova Iguaçu (+1,2 mil). Em contrapartida, Rio das Flores (-173) e Itaboraí (-157) foram os municípios fluminenses que fecharam mais vagas no mês.

De janeiro a maio, o estado do Rio acumula saldo positivo de 77.648 novos postos de trabalho formais. O setor de Serviços (+58.456) foi o que criou mais vagas no período, impulsionado pelas contratações de início de ano, em especial no segmento da Educação.

 A Indústria e Construção registrou 29.487 novas vagas no acumulado do ano, com destaque para a construção (+17.929) que nos cinco primeiros meses já acumula saldo superior ao observado em todo o ano de 2021 (+14.179). A Agropecuária abriu 1.514 novos postos de trabalho em 2022. Por outro lado, o Comércio (-11.809) acumula saldo negativo de janeiro a maio, em parte influenciado pelo fechamento das vagas temporárias de fim de ano.

Já a análise municipal aponta que 77 das 92 cidades fluminenses apresentaram saldo positivo de janeiro a maio, com destaque para Capital (+38,7 mil), Niterói (+4,0 mil), Macaé (+3,2 mil), Duque de Caxias (+3,1 mil) e Campos dos Goytacazes (+3,0 mil). Os municípios que mais fecharam postos de trabalho no ano foram Magé (-388) e Itatiaia (-291).

Plataforma Retratos Regionais

A plataforma Retratos Regionais da Firjan tem como base o saldo de empregos formais disponibilizados no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Em painel setorial são disponibilizados dados específicos dos setores industriais.

Em painel regional, que também permite a busca por município, é apresentado o cenário geral de empregos, incluindo todos os grandes setores.

A plataforma pode ser acessada através deste link: https://bit.ly/2WunK6l

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.