Reprodução do Facebook / Página do Liceu Municipal Carlos Chagas Filho

Implantação da escola militar em Petrópolis causa polêmica envolvendo o Liceu Municipal

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Após o anúncio feito pela Prefeitura, no dia 8 de julho, da implantação da unidade de escola militar na cidade de Petrópolis, rumores sobre a utilização do Liceu Municipal Carlos Chagas Filho, para execução do projeto, entra em discussão.

A polêmica é tão grande que a comunidade, representada pelos professores, alunos, funcionários e amigos do Liceu Municipal, vieram propor um abaixo-assinado virtual que deverá ser encaminhado às autoridades competentes.

Na reunião onde o anúncio da implementação da escola militar no município foi realizado, o deputado Sérgio Fernandes, destacou que a unidade será uma escola a mais. “Não haverá fechamento de nenhuma unidade, nem substituição de uma escola tradicional para uma militar. É uma nova unidade, ela se soma à rede estadual em Petrópolis. Isso é muito importante frisar, porque são mais vagas, mais opção em educação”, destacou o deputado que estava acompanhado do prefeito Bernardo Rossi e do secretário de Estado de Educação, Pedro Fernandes, na sede da Secretaria de Estado de Educação, no Rio.

De acordo com os envolvidos com o abaixo-assinado, a Unidade de Ensino passará a atender alunos do Ensino Médio quando for transformada em escola militar. Atualmente a escola atende cerca de 510 alunos e 6 comunidades do seu entorno e, caso haja confirmação do fechamento da escola, provavelmente não contemplará esta mesma quantidade de alunos.

O texto que explica sobre o objetivo do abaixo-assinado virtual demonstra também a preocupação com o deslocamento dos alunos que serão transferidos para outras escolas da rede municipal, caso o Liceu venha a ser transformado em escola militar, uma vez que a escola municipal mais próxima não tem capacidade física para suprir tamanha demanda de vagas. Além ainda da dissolução do quadro de funcionários que comtempla cerca de 60 profissionais, dentre eles professores, merendeiras, inspetores e zeladores.

Em nota, a Prefeitura de Petrópolis explica que ainda não há definição sobre o local onde a escola militar irá funcionar e quando for implementada será em parceria com o Governo do Estado.

CONFIRA A NOTA DA PREFEITURA NA ÍNTEGRA:

O Liceu Municipal Carlos Chagas segue funcionando normalmente – não há previsão de fechamento da unidade.

Em relação à escola militar, o município ainda está planejando e estudando o lugar onde a mesma será instalada. Vale salientar que a escola será implantada em parceria com o Estado.

A escola oferecerá atendimento integral, atendendo às diretrizes da Base Nacional Comum Curricular, além de atividades diferenciadas com noções de prevenção e civismo.  A quantidade de vagas oferecidas e o público alvo da nova unidade ainda serão estabelecidos pela Secretaria de Educação. O número de vagas vai depender do espaço que será disponibilizado pelo município para abrigar a nova escola. Segundo o acordo fechado entre o governo do Estado e o município, a prefeitura de Petrópolis vai indicar o prédio onde a escola vai funcionar e custear as contas de água e a luz.

Crédito da foto: Reprodução do Facebook / Página do Liceu Municipal Carlos Chagas Filho

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.