Aos 94 anos, dona Pedentrina Fernandes era só animação nesta segunda-feira (01), Dia do Idoso, enquanto tentava a sorte em um show de prêmios, promovido pelo Conselho Municipal de Defesa do Direito da Pessoa Idosa (CMDDPI). A atividade marcou a data e lotou o salão do Terra Santa com a presença de cerca de 250 pessoas, que desde às 13h, brincaram, dançaram, fizeram exercícios e aproveitaram seu dia. Petrópolis, aliás, é a cidade do estado com o maior número deles: são 44 mil pessoas acima dos 60 anos espalhadas pelos cinco distritos.

“Eu quebrei o fêmur e fiz uma cirurgia recentemente. Mas sempre participo das iniciativas do conselho. A festa é sempre muito legal! A gente socializa, não fica ocioso em casa e isso aumenta a qualidade de vida e também a nossa expectativa de viver”, declarou dona Pendentrina, empolgada com as brincadeiras do dia.

A já tradicional Festa do Idoso foi aberta pelo vice-prefeito, Baninho, que lembrou a importância do conhecimento que só a maturidade de longos anos vividos é capaz de passar.

“Chegar em um ambiente como este e ver tanta gente feliz, com um sorriso no rosto, é motivo de se alegrar. A prefeitura tem trabalhado para dar ainda mais alegria para vocês e o decreto de concessão do IPTU para pessoas com mais de 60 anos é uma realidade. É lei. É direito de vocês. Fico muito feliz em saber que estive presente em um momento tão importante e de valorização dos idosos na história da nossa cidade”, declarou Baninho.

Publicado em agosto, o município garante a isenção a pessoas com mais de 60 anos, que tenham renda de até dois salários mínimos e possuem apenas o imóvel em que moram.  A atual gestão criou uma força-tarefa para analisar cerca de 5 mil pedidos acumulados na Secretaria de Fazenda desde 2012.

Quem também aproveitou a Festa do Idoso foi a pedagoga aposentada, Marlene Rodrigues Borba, de 67 anos. “Eu gosto muito dessa oportunidade de socialização que temos. Estar aqui é uma oportunidade de encontrarmos velhos amigos, rirmos e fazer atividades ao invés de ficar parado dentro de casa. Sempre participo da festa e gosto muito”, contou.

E é exatamente essa a intenção do evento. A presidente do CMDDPI, Gelza Gatera, destaca que promover essa interação dá aos idosos a oportunidade de convivência e, ativos, faz com que a qualidade de vida seja maior. “Fico muito feliz em ver a alegria de cada um deles. As atividades, desde a aula física, ao show de prêmios e os lanches servidos demonstra como atos que parecem ser pequenas são importantes para fazer o dia a dia deles”, destacou.