Mais de 400 pessoas prestigiaram, na noite desta segunda-feira (18/06), o lançamento do livro “Lei Seca, 10 anos – A Lei da Vida” (editora Mauad), escrito pelo deputado federal Hugo Leal (PSD/RJ), autor da lei, na Livraria da Travessa, no Shopping Leblon, no Rio de Janeiro. “Faço um balanço muito positivo da legislação que, comprovadamente vem salvando vidas, e também já criou na população uma consciência do perigo da mistura de bebida alcoólica e direção”, afirmou o parlamentar.

A trajetória da Lei nº 11.705/2008  que completa exatamente uma década no dia 19 de junho e é contada pelo deputado federal Hugo Leal, presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro e envolvido com a questão da segurança viária desde sua passagem pela presidência do Detran/RJ entre 2003 e 2005. O livro acompanha bastidores legislativos, passa pela promulgação da Lei Seca, e descreve a implantação da legislação pelos agentes de trânsito no país, quando a lei ganhou as ruas, e seus primeiros impactos junto à sociedade. “Creio que, por ser uma lei ainda jovem, a Lei Seca ainda está sujeita a controvérsias e adequações,mas é inegável o reconhecimento que a
legislação vem conquistando junto à população brasileira, principalmente nos estados onde há efetiva fiscalização”, disse Hugo Leal.

O deputado lembrou que, no Rio de Janeiro, a Operação Lei Seca, a pioneira ação coordenada de fiscalização do uso de bebida alcoólica ao volante, resultou em uma redução de 28% no número de mortes no trânsito (por 100 mil habitantes). “O Rio contribuiu de forma muito significativa para a ideia que, talvez pela primeira vez no país, a lei era realmente para todos, fossem eles celebridades ou anônimos. A postura dos agentes de trânsito, firmes na aplicação da lei, foi um exemplo para o Brasil e levou outros estados a lançarem ações semelhantes de fiscalização”, acrescentou.

Em “Lei Seca, 10 anos – A Lei da Vida”, o deputado Hugo Leal destaca ainda o estudo realizado pelo Centro de Pesquisas e Economia do Seguro, da Escola Nacional de Seguros, apontando que, entre 2008 e 2016, a legislação sobre álcool e direção foi responsável por salvar 41 mil vidas salvas e poupar ao país R$ 558 bilhões. O autor cita, ainda, a importância da implantação do Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito, que vai estabelecer metas para os integrantes do Sistema Nacional de Trânsito. Pela primeira vez, os gestores públicos serão obrigados a planejar e prestar contas do que farão para diminuir o número de acidentes e poupar vidas de brasileiros no trânsito. “Estamos avançando em segurança viária mas ainda há muito ser feito. São quase 40 mil mortes no trânsito por ano no Brasil: não podemos conviver com essa tragédia. É preciso envolver toda a sociedade no esforço de reduzir o número de vítimas”, frisou Hugo Leal.

Estiveram presentes à noite de autógrafos na Livraria da Travessa o deputado federal Índio da Costa, pré-candidato a governador pelo PSD, o ex-deputado Felipe Peixoto, o vereador Claudio Castro, a presidente da Associação dos Magistrados do Rio de Janeiro, Renata Gil, o diretor-tesoureiro e presidente da Comissão de Prerrogativas da OAB/RJ, Luciano Bandeira, o presidente da Comissão de Trânsito da OAB/RJ, Armando de Souza, o superintendente da Polícia Rodoviária Federal no Rio, Rafael Alvim  o delegado Fernando Veloso, ex-chefe da Polícia Civil, o presidente da Federação do Transporte de Cargas do Rio de Janeiro (Fetranscarga), Eduardo Rebuzzi, os dirigentes da Federação de Motoclubes do Rio, Humberto Montenegro e Marcílio Santos, o presidente do Sindicato dos Servidores da Polícia Federal, Luiz Carlos Cavalcante, o presidente do Conselho Estadual de Trânsito, Antonio Damasceno, e o coordenador da Operação Lei Seca do RIo de Janeiro, tenente-coronel Marco Andrade, acompanhado de agentes da área de conscientização e educação.