Hospital Unimed Petrópolis já contabiliza 14 altas hospitalares de pacientes infectados por covid-19

“A experiência do covid-19 na minha vida e na vida da minha família tem sido uma experiência de muita paciência e resiliência. Aprendemos que é possível amar à distância e compreendemos literalmente que o ser humano é um ser muito frágil e que não temos o controle sobre todas coisas”. O depoimento do fisioterapeuta Luciano Gonçalves Correa é um misto de emoção e alívio. Nesta sexta-feira, 24 de abril, o seu irmão Marcelo Gonçalves Correa recebeu alta do Hospital Unimed Petrópolis após 29 dias de internação devido a infecção pelo Covid-19.

O início da manhã desta sexta-feira foi tomado por grande comoção e comemoração. Além da alta de Marcelo Gonçalves Correa, outro paciente, Rafael Louro que permaneceu internado no hospital por 28 dias, também teve alta. Ambos deram entrada no Pronto Atendimento do Hospital com os sintomas característicos do Novo Coronavírus – Tosse, dificuldade para respirar e febre e precisaram ficar internados na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI).

A doença avança muito rapidamente o que pode agravar o estado de saúde dos pacientes, em alguns casos, tendo a necessidade de internação em leitos de UTI. O Hospital Unimed Petrópolis contabiliza 42 casos positivos pelo covid-19, destes, 14 tiveram alta hospitalar. Há ainda 18 pacientes em tratamento domiciliar e infelizmente, 06 pessoas faleceram no hospital devido a infecção pelo Covid-19.

O presidente da Unimed Petrópolis, Rafael Gomes de Castro reforça que apesar das altas hospitalares e do baixo número de pacientes internados no hospital. Os índices são flutuantes e variam de acordo com a adesão da população ao isolamento social.

“Se avaliarmos que hoje temos apenas 5 pacientes internados, temos a sensação de que o vírus está totalmente controlado. Mas o que precisamos chamar atenção é que já realizamos exames em 124 pessoas e esse número é o dobro do que divulgamos na última sexta-feira. Por conta disso, reforçamos o apelo das pessoas só procurarem o hospital em caso de urgência e que as pessoas só saiam de casa se for realmente necessário e fazendo o uso das máscaras e higienização das mãos”, explica Rafael Gomes de Castro.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também