No dia 29 de abril é comemorado o Dia Mundial da Dança. Dentre as formas de arte existentes, a dança é uma das mais antigas manifestações que atua em benefício da saúde física e mental.

“A dança promove a independência funcional do indivíduo com a manutenção da força muscular, sustentação, equilíbrio e da potência aeróbica. As atividades musculares realizadas por meio da dança permitem às pessoas descobrir as próprias limitações corporais e seus potenciais, resgatando assim o significado do corpo e transformando-o em instrumento de auto aceitação e de inclusão social”, revela o Dr. Idam Junior, mastologista do Hospital de Amor.

E não é apenas o corpo físico que melhora. A dança reflete também na saúde psicológica, sobretudo em pessoas que enfrentam tratamentos desgastantes. “O corpo ferido produz uma sensação de perda de controle. A dança, por sua vez, faz com que o indivíduo tenha um olhar para si que vai além da doença, retomando a autoestima, diminuindo a ansiedade e promovendo uma imagem corporal satisfatória”, complementa Kamila Costa Panissi, psicóloga do Hospital de Amor.

Aulas de dança – Há sete meses o Hospital de Amor mantém um projeto de aulas gratuitas de dança do ventre para as pacientes em tratamento na unidade de Barretos. A iniciativa é ministrada pela dançarina e professora voluntária Jeniffer Leigre.

“Sempre amei a arte da dança do ventre e sabendo dos benefícios que ela traz para o corpo e para a alma feminina surgiu o desejo de transmitir essa paixão às mulheres que passam por algum tipo de tratamento. Nada melhor do que concretizar esse projeto em uma instituição como o Hospital de Amor”, declara Jeniffer Leigre.

Antes de iniciar as aulas, as pacientes participam de um bate papo sobre suas expectativas e limitações. “Como elas estão em tratamentos que provocam diversas alterações no organismo, precisamos entender as suas limitações físicas e se já fizeram alguma atividade semelhante. De qualquer forma, a empolgação das participantes é visível e contagiante. Muitas delas sempre tiveram a vontade de dançar, porém nunca tiveram coragem de enfrentar o desafio”, ressalta a dançarina.

Cuidados – Como toda atividade física, antes de iniciar a prática da dança é necessário passar por uma avaliação, principalmente quando se está enfrentando uma doença tão complexa como o câncer. O Dr. Idam Junior lista alguns pontos que devem ser observados.

  • Não faça exercícios se estiver com anemia;
  • Não pratique atividades físicas se o nível dos minerais no sangue não estiver em condições normais;
  • Para pacientes com osteoporose, metástase óssea ou lesões nos nervos, é preciso evitar atividades de tensão nos ossos;
  • Observe a ocorrência de sangramentos, especialmente se estiver utilizando anticoagulantes;
  • Para as usuárias de cateter de longa permanência, é preciso evitar movimentos que exercitem os músculos na região onde está instalado;
  • Comece devagar e vá aumentando o ritmo lentamente, respeitando os limites do seu corpo.

Sobre o Hospital de Amor

Excelência em oncologia, o Hospital de Amor de Barretos registra 6.000 atendimentos por dia, 100% gratuitos. Acolhe pacientes de todo o Brasil, com profissionalismo e humanização. Com 55 anos de história, o Hospital possui unidades de tratamento e prevenção. Nas cidades de Barretos (SP), Jales (SP) e Porto Velho (RO) encontram-se os hospitais que oferecem tratamento para as pessoas que já têm a doença. Os Institutos de Prevenção, que realizam exames de diagnóstico precoce, estão presentes nas seguintes cidades: Barretos (SP), Fernandópolis (SP), Porto Velho (RO), Ji-Paraná (RO), Campo Grande (MS), Nova Andradina (MS), Juazeiro (BA) e Lagarto (SE) e Campinas (recém-inaugurado). Há projetos em andamento em Macapá (AP) e novas parcerias estão sendo fechadas em Rio Branco (AC) e com o estado de Mato Grosso para a construção de Centros de Prevenção. Em Palmas (TO), o Hospital de Câncer de Barretos dará início à construção de um hospital para o tratamento da doença.