Homem é solto após 15 anos preso injustamente no Ceará

Cícero foi preso por tentativa de homicídio em novembro de 2005 e passou quase 16 anos na prisão dizendo que não tentou matar ninguém.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

O jardineiro cearense Cícero José de Melo se tornou um homem livre ao deixar, nesta sexta-feira (9), a Penitenciária Industrial Regional do Cariri, em Juazeiro do norte, após ter passado 15 anos preso por um crime que não responde na justiça.

Cícero foi preso por tentativa de homicídio em novembro de 2005 e passou quase 16 anos na prisão dizendo que não tentou matar ninguém.

“Eu estava conversando com um cidadão quando uma viatura me abordou e falou que eu tinha cometido um crime. Nesse momento fiquei sem saber o que fazer. Não pediram nem identificação. Me colocaram dentro da viatura, me fizeram passar vergonha. As pessoas olhando para mim como se eu tivesse cometido crime mesmo. Eu falando que era inocente e eles rindo de mim, rindo da minha cara”, contou. 

O caso chegou até o advogado Roberto Duarte que ficou surpreso quando soube que desde 2005 não houve audiência e nem o pedreiro foi ouvido perante a Justiça.

Consta na decisão da juíza corregedora de presídios, Maria Lúcia Vieira, que a direção da Pirc emitiu ofício expedido pelo setor jurídico da unidade prisional solicitando providências para fins da análise da situação prisional de Cícero José de Melo.

Tendo em vista que não foi constatada a motivação para a manutenção do cárcere, foi decidido pelo relaxamento da prisão provisória.

A defesa técnica do pedreiro destacou que o Ministério Público deu parecer favorável à soltura e que “tudo tramitou pela via administrativa, enaltecendo o brilhante trabalho da advogada da unidade prisional que se dedicou e investigou a situação. Agora, o cidadão solto, está em busca de familiares, sob os cuidados do advogado, pois não sabe para onde ir”.

Agora, Cícero busca um recomeço: “Quero reencontrar meus filhos, que ela reconheça o que já fiz por ela e que sou o pai dos filhos dela e não cometi crime”, disse, se referindo à ex-companheira e mãe dos filhos.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.