História de Petrópolis vai ser ensinada aos estudantes da rede municipal Iniciativa da Casa da Educação Visconde de Mauá

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Com um patrimônio histórico reconhecido internacionalmente, Petrópolis abriga monumentos, ruas e praças que contam um pouquinho da história do Brasil. Para que os alunos da rede pública possam conhecer essas particularidades, a Casa da Educação Visconde de Mauá está com inscrições abertas para o projeto “Turismo histórico em Petrópolis – Aula passeio”. O objetivo é o de realizar passeios guiados com os alunos pelos pontos turísticos.

“Embora a cidade seja muito conhecida pela presença do Imperador Dom Pedro II, que mandou construí-la, com um olhar mais atento podemos também ver as marcas do homem comum, dos colonos, dos operários e dos escravos que foram os grandes responsáveis por erguer os famosos prédios e deixaram sua cultura marcada em cada esquina”, explica o professor de história, Norton Ribeiro, idealizador do projeto e que será o responsável pelas visitas guiadas.

Segundo Norton, a ideia segue o pensamento e prática de Célestin Freinet (1896-1966), crítico da escola tradicional, sendo criador, na França, do movimento da escola moderna. Freinet construiu com seus alunos diversas práticas pedagógicas que tinham como objetivo aproximar a escola da vida.

“As aulas-passeio atendiam a esta finalidade. Em vez de discutir temas desvinculados da vida da comunidade, Freinet saía com seus alunos passeando pelas proximidades, fazendo observações e descobertas sobre aspectos da natureza, da vida social, econômica e cultural da região”.

A mudança de ambiente pode ser um atrativo a mais para os alunos. “Os estudantes ficam muito animados com as aulas práticas e conhecer um pouco mais sobre a história da nossa cidade, diretamente ligada aos fatos da história do nosso país, é uma experiência única. Poucas cidades têm o privilégio de manter tantos pontos turísticos ricos em conhecimento”, afirma a secretária de Educação, Samea Ázara.

De acordo com o projeto, a intenção é, também, a de mostrar para os estudantes a importância de um olhar mais crítico que chame a atenção para o acervo arquitetônico, além de promover a educação patrimonial e perceber as mudanças e permanências ocorridas ao longo do tempo.

“Muito orgulhosa por desenvolver este projeto junto ao professor Norton Ribeiro, pois serão aulas de vivências e experimentações bastante atrativas para os alunos. Na verdade, muitos adultos não conhecem vários pontos turísticos e a História da cidade. Este projeto sensibilizará a base”, afirma a diretora da Casa da Educação, Catarina Maul.

As escolas interessadas em inscrever os alunos devem entrar em contato com a Casa da Educação através do telefone 2246- 8659.  Segundo o roteiro do passeio, acompanhados por um professor responsável e por Norton Ribeiro, os alunos visitarão a antiga estação rodoviária Leopoldina (Local considerado o início do centro da cidade, pois ali chegava o trem vindo do Alto da Serra, depois de subir a Serra da Estrela); a Igreja Nossa Senhora do Rosário (a primeira capela foi construída ainda em 1883 com doação de ex-escravos; irmandade dos homens pretos), a Praça dos Expedicionários e Teatro Municipal (Teatro inaugurado em 1933 e a praça que homenageia os pracinhas da II Guerra), a Praça Dom Pedro e Obelisco (Principal praça do centro e marco em homenagem aos colonos inaugurado pelo Presidente Juscelino Kubitschek), os  jardins do Museu Imperial (Local construído para ser a residência de verão do Imperador, transformado em museu em 1940), o Palácio Amarelo e Centro de Cultura (o Palácio foi residência do Barão de Guaraciaba o CDC hoje abriga teatro, cinema, exposições e biblioteca), a Catedral São Pedro de Alcântara (abriga o mausoléu da família Imperial; uma construção em estilo neogótico inspirada nas grandes catedrais medievais europeias), o conjunto arquitetônico da Avenida Koeler (abriga vários casarões do século XIX), a Praça da Liberdade (antes chamada de Largo Dom Afonso, foi local de um pelourinho para castigar os escravos), a Bohemia (Fábrica da primeira cervejaria do Brasil, fundada em 1853), o Palácio de Cristal (encomendado pelo Conde D’Eu como presente para a Princesa Isabel, inaugurado em 1884) e a Casa Barão de Mauá (Construída para ser residência de Irineu Evangelista de Souza, o Barão e Visconde de Mauá).

Fonte: Prefeitura de Petrópolis

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.