Haddad diz que eleitores não podem ser “covardemente atacados” O candidato se referiu ao capoeirista assassinado em Salvador-BA

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Em reunião com aliados na cidade de São Paulo, Fernando Haddad (PT) defendeu que sua campanha e de seu rival Jair Bolsonaro (PSL) sejam contra veiculação de conteúdo falso nas mídias sociais. O candidato do PT a presidência defende que eleitores não sejam “covardemente assassinados” ao expressarem suas ideologias.

Ao falar com a imprensa, Haddad citou o caso de um mestre de capoeira que tinha 63 anos de idade e foi assassinado com 12 facadas por expressar seu voto após o término do 1º turno das eleições. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública da Bahia, o capoeirista foi morto porque disse ser contra as propostas de governo de Bolsonaro.

  • Não há problema uma pessoa pensar de um jeito e a outra de outro. O problema é em função da sua opinião, da sua liberdade de expressão, ser covardemente atacado. Nós, que estamos na vida pública, sentimos que a democracia esteja ameaçada com esse tipo de atitude covarde de determinados setores da sociedade. Ontem mesmo recebemos a informação de um mestre da Bahia que foi morto com 12 facadas em função da sua opinião sobre as eleições – comentou Fernando Haddad.

Ele também criticou a veiculação das chamadas fake news nas mídias sociais e disse que sua campanha poderia ser junto a de Bolsonaro com o intuito de bloquear a propagação de notícias falsas, assim o público só receberia fatos reais.

Por: Gabriel Malheiros

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.