O canil da Guarda Civil vai promover um curso internacional sobre cães de detecção com uma das maiores referências mundiais no assunto, o alemão Andre Brendler. O curso será de 13 a 15 de setembro, no 32º Batalhão de Infantaria Leve (BIL) e as inscrições estão abertas. Serão inscritas até 60 pessoas, tanto de segurança pública quanto particular.

Andre Brendler é instrutor dos cães a serviço do exército da Alemanha e da República Tcheca. Ele presta serviço para empresas particulares na Europa que atuam, por exemplo, na segurança de jogos da Liga dos Campeões e de voos da empresa Luftansa. O curso que ele vai ministrar vai abordar tanto a questão de detecção de drogas, armas e explosivos quanto o trabalho de busca e salvamento em escombros.

O coordenador do canil de Petrópolis, Leandro Lopes, é formado em curso ministrado por Brendler e se tornou uma espécie de “embaixador” do alemão no Brasil. Para Lopes, a vinda de um nome tão importante para o adestramento de cães é um sinal da importância e seriedade do trabalho realizado pelo canil de Petrópolis.

“O curso vai abrilhantar o desenvolvimento do canil de Petrópolis e mostrar o crescimento dessa linha de trabalho desenvolvida com os nossos cães. É a primeira vez que ele estará no estado do Rio e tenho certeza que isso vai abrir a possibilidade de trazer outras escolas de detecção importantes no mundo para dividir conhecimento”, destaca Leandro Lopes.

Os participantes do curso terão a opção de utilizar os próprios cães ou realizar as atividades com os animais do canil de Petrópolis. O curso terá tradução simultânea e é dividido entre aulas teóricas e práticas, por exemplo, com montagem de pistas reais para ensinar os condutores sobre como manejar os cachorros durante o trabalho de detecção.

As inscrições podem ser feitas pela internet. As condições e os preços estão disponíveis no endereço https://bit.ly/2JSwmrZ.

O canil de Petrópolis conta com 14 animais. No ano passado, após ser inaugurado (em abril), os dois cães que fazem a detecção de armas e entorpecentes encontraram mais de 25 mil pinos de cocaína e cinco quilos de maconha em operações de combate ao tráfico ao lado da Polícia Militar. Também há mais dois cachorros que serão usados para resgates em escombros, treinamento iniciado há um ano, mesmo tempo de preparação de outros dois filhotes para o serviço de detecção de drogas.

Além deles, são mais seis animais usados para contenção de distúrbios (por exemplo, para garantir a tranquilidade em eventos ou manifestações), dois animais fazem o trabalho de cinoterapia e outros dois estão sendo treinados

“A importância do canil para a cidade é muito grande, pelo lado social, com a cinoterapia, mas também para a segurança do município, dando tranquilidade em eventos e ajudando de maneira muito efetiva na detecção de drogas. E em breve, os cães também vão passar a fazer resgates em escombros. Esse curso vai somar todo conhecimento já existente pelos agentes que cuidam do canil e vão ajudar a potencializar ainda mais os serviços feitos pelos animais”, ressalta o comandante da Guarda Civil, Jeferson Calomeni.