Após a Prefeitura divulgar que faria o pagamento dos servidores da Educação na quarta-feira (5), condicionada ao fim da paralisação, uma nova audiência foi marcada para o final da tarde desta quarta-feira, na Praça da Liberdade, onde ficou decidido o fim da greve.

Diante das reivindicações, a Prefeitura, em reunião na tarde desta sexta-feira, enfatizou que o déficit das contas públicas impedem a recomposição salarial, mas reiterou aos representantes da categoria, a disposição da gestão em estabelecer estudos e prazos para avançar em benefícios para os servidores deste segmento. Sobre as propostas feitas na quinta-feira (30), a Prefeitura acordou antecipar os pagamentos de quinquênio para novembro e o enquadramento por tempo de formação para março. Todas as medidas acertadas anteriormente também foram confirmadas.

As propostas, apresentadas em assembléia às 16h30, na Praça da Liberdade, foram aceitas pelos servidores que devem retornar ao trabalho imediatamente.

O acordo firmado também diz respeito sobre o pagamento dos dias que seriam descontados, que ficará atrelado à reposição das aulas.

O pagamento da Educação, vai ser enviado à CEF ainda nesta sexta-feira com possibilidade do pagamento ser compensado nas contas na segunda-feira.