Na tarde desta quarta-feira (08) profissionais da educação voltaram às ruas do centro da cidade para cobrar o cumprimento de promessas feitas pelo prefeito de Petrópolis, Bernardo Rossi, durante campanha eleitoral. A categoria, em greve desde o dia 31 julho, cobra o descongelamento dos triênios, carga horária de 30 horas, um terço da carga horária dos professores para planejamento de aula, além do reajuste de 14% nos salários.

Segundo o Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe), mais de 85% da categoria já aderiu a paralisação, o que deixa mais de 45 mil alunos da rede municipal de ensino sem aulas. De acordo com a presidente do sindicato, Rose Silveira, a greve é para o cumprimento das leis, uma vez que o governo municipal não cumpre a mesma “Nos reunimos com representantes da Prefeitura diversas vezes, mas o governo não aceitou nenhuma das reivindicações da categoria”, destaca Rose

Na última sexta-feira (03), a prefeitura ingressou com uma ação na justiça para tentar barrar a greve da categoria, alegando que “o entendimento é que houve violação na legislação, uma vez que ao menos 30% da rede deveriam ser mantidas em funcionamento. O Sepe-Petrópolis anunciou que 15% da categoria está em seus postos de trabalho.”, diz parte da nota enviada pela assessoria de imprensa do município.

O Sepe afirma que apresentou um estudo ao governo para viabilizar a concessão das reivindicações dos profissionais, entretanto, após um ano e sete meses, nada foi feito. Nesta sexta-feira (10) uma nova assembleia será realizada, onde será decidido se paralisação segue ou não por tempo indeterminado.

Promessas feitas durante campanha eleitoral

Após a categoria anunciar estado de greve, começou a ser compartilhado nas redes sociais um vídeo onde o prefeito Bernardo Rossi, durante campanha eleitoral, realiza uma série de promessas aos profissionais da educação. Nas imagens, vinculadas na própria fanpage do prefeito no Facebook, ele afirma, entre outras coisas, que “cumprir o PCCS é obrigação do prefeito, 1/3 é lei federal e as 30 também é obrigação”.