“ARÁBIA”, grande vencedor do Festival de Brasília de 2017, estreia nesta quinta-feira, 5 de abril, nas cidades de Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Fortaleza, Niterói, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo. Longa dirigido por Affonso Uchôa e João Dumans já circulou por mais 40 festivais internacionais e foi premiado em dez deles.

A vida comum de um trabalhador, com frustações, sofrimento e felicidade, revela uma realidade obscura do desenvolvimento social e econômico no Brasil dos últimos dez anos. “ARÁBIA”, de Affonso Uchôa e João Dumans, narra esta história através da trajetória de Cristiano (Aristides de Sousa), um operário de uma velha fábrica de alumínio, que sofre um acidente no trabalho e desperta a curiosidade de André (Murilo Caliari), um jovem morador do bairro vizinho.

André é quem ajuda a tia enfermeira Marcia a prestar os primeiros socorros a Cristiano. E, atendendo a um pedido da tia, ele vai à casa do “trabalhador” para pegar roupas e documentos. Lá, encontra um misterioso caderno e não resisti à curiosidade de lê-lo. “Desde o começo queríamos dizer algo sobre a nossa própria realidade, sobre as vidas e histórias dos jovens e dos trabalhadores do nosso país. Mas queríamos contar essas histórias de uma maneira mais literária, como numa narrativa épica… ou talvez como uma peça teatral. Nesse sentido, fomos muito inspirados por autores que conseguiram representar em narrativas fortes e sensíveis a vida dos trabalhadores e pessoas comuns de seu tempo, como James Joyce, Joseph Conrad, John dos Passos, Brecht. Mas também, e especialmente, alguns autores brasileiros”, conta Dumans.

Narrado em primeira pessoa, ou seja, é o personagem Cristiano que conta a própria história, o longa é um retrato político da vida de pessoas marginalizadas. “Essa decisão de ter a história do protagonista contada através de seu próprio caderno foi determinante para a estrutura do filme. Para nós, pessoas como Cristiano – e claro, Aristides de Souza, o ator – são como os heróis da literatura do passado: suas vidas são simplesmente incríveis na sua grandeza e na sua força. Queríamos dar à história de Cristiano essa qualidade literária, mas ao mesmo tempo, o caderno parecia ser um tipo de escrita mais plausível, e também menos nobre: não é um livro, não é uma novela, é uma espécie de diário. É o trabalho de um sujeito normal, não de um intelectual”, revela um dos diretores, Affonso Uchôa.

Ganhador de cinco prêmios na última edição do Festival de Brasília, entre eles, Melhor Filme e Melhor Ator, o longa circulou por mais de 50 festivais no mundo, entre eles, o de Roterdã, New Films/ New Directors (Nova York), BFI London Film Festival e a Viennale. Ao todo, foram mais de dez prêmios conquistados lá fora. Com distribuição da Embaúba Filmes e da Pique Bandeira, “ARÁBIA” é uma produção das mineiras Katásia Filmes e Vasto Mundo.

Sinopse:
Ao encontrar o diário de um trabalhador, numa vila operária em Ouro Preto, o jovem André entra em contato com a comovente trajetória de vida de Cristiano, em meio às mudanças sociais e políticas do Brasil nos últimos dez anos.

Ficha técnica:
Ano de Produção: 2017
Duração: 96′
Empresas Produtoras: Katásia Filmes, Vasto Mundo
Produção Associada: Pique-Bandeira Filmes
Elenco: Aristides de Sousa, Murilo Caliari, Glaucia Vandeveld, Renata Cabral, Renato Novaes, Wederson Neguinho, Adriano Araújo, Renan Rovida
Direção e roteiro: Affonso Uchôa, João Dumans
Produtor: Vitor Graize
Produção Executiva: Vitor Graize,Thiago Macêdo Correia
Direção de Fotografia: Leonardo Feliciano
Som: Pedro Durães, Gustavo Fioravante
Trilha sonora: Francisco Cesar, Christopher Mack
Direção de Arte: Priscila Amoni, Janaína Macruz
Direção de Produção: Marcela Jacques, Laura Godoy
Montagem: Luiz Pretti, Rodrigo Lima
Assistente de Direção: Juliana Antunes
Casting: Gustavo Ruas, Silvia Andrade
Assistentes de Câmera: Bernard Machado, Maurício Rezende
Assistente de Produção: Vinícius Rezende, Camila Bahia
Produtor de Distribuição: Daniel Queiroz
Distribuidora: Embaúba Filmes e Pique Bandeira

Festivais:
46º Rotterdam International Film Festival (Holanda)
Hivos Tiger Competition
57º FICCI – Festival Internacional de Cine de Cartagena de Indias (Colômbia)
Competição Internacional
New Director / New Films, Nova York (Estados Unidos)
19º BAFICI (Argentina) – Competição Internacional – Menção Especial do Júri
35º Festival do Uruguai – Competição Internacional – Menção Especial da FIPRESCI
14º Indie Lisboa (Portugal) – Competição Internacional – Prêmio Especial do Júri
Festival de Cine Latinoamericano La Casa Cine Fest (Equador) – Melhor Filme Latinoamericano
Art Film Fest (Eslováquia)
Valletta International Film Festival (Malta)
Festival de Cine Lima Independiente (Peru) – Prêmio Melhor Filme Iberoamérica Ahora
Karlovy Vary International Film Festival (República Tcheca)
FID Marseille (França)
GNCR Competition
Golden Apricot Yerevan International Film Festival (Armênia) – Prêmio Silver Apricot da Competição Internacional
New Zealand International Film Festival (Nova Zelândia)
T-mobile New Horizons IFF (Polônia)
Festival Internacional de Cine de América (México) – Prêmio de Melhor Filme
50º Festival de Brasília do Cinema Brasileiro – Prêmio de Melhor Filme, Melhor Ator, Prêmio da Crítica, Melhor Montagem e Melhor Trilha Sonora
Festival de San Sebastián – Mostra Horizontes Latinos
Pancevo Film Festival (Sérvia)
Festival du Nouveau Cinéma (Montreal, Canadá)
BFI London Film Festival (Reino Unido)
Film Fest Hamburg (Alemanha)
Film Fest Gent (Bélgica)
41ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo
Viennale (Áustria) – IBERTIGO
Muestra de Cine Iberoamericano de Las Palmas de Gran Canaria (Espanha) – Prêmio do Júri Popular
7ª Muestra de Cine de Lanzarote (Espanha)
27º Films from the South (Noruega) – Silver Mirror Melhor Filme
9ª Semana (Rio de Janeiro)
28ª Liffe – Ljubljana International Film Festival (Eslovênia)
X Janela Internacional de Cinema do Recife
4ª Mostra de Cinema de Gostoso
XIII Panorama Internacional Coisa de Cinema
9ª Semana – Festival de Cinema

Sobre os diretores:

AFFONSO UCHÔA é diretor e roteirista. Vive em Contagem, Brasil. Dirigiu o longa-metragem “A Vizinhança do Tigre” (2014), considerado por diversos críticos um dos filmes brasileiros mais importantes em seu ano de lançamento. O filme estreou na Mostra de Tiradentes (2014) ganhando o prêmio de melhor longa-metragem. Depois, o filme foi premiado ainda em outros festivais como Olhar de Cinema, Semana dos Realizadores, Cachoeiradoc e forumdoc. bh, e teve sua estreia internacional no Festival de Hamburgo (Alemanha), em 2015.

JOÃO DUMANS é diretor e roteirista. Foi diretor assistente, roteirista e montador do longa-metragem “A Vizinhança do Tigre”, exibido no Festival de Hamburgo (2015), roteirista do longa-metragem “A cidade onde envelheço”, vencedor do Festival de Brasília de 2016, e assistente de direção e produtor executivo de “Os Residentes”, exibido no Festival de Brasília (2010) e em outros festivais internacionais como Viennale (Áustria), New Horizons (Polônia) e Indielisboa (Portugal). Como diretor, realizou o média-metragem documental “Todo mundo tem sua cachaça (2014).

Sobre as produtoras:

KATÁSIA FILMES é uma produtora sediada em Belo Horizonte dedicada ao cinema, vídeo e artes plásticas. Seus sócios são João Dumans e Tiago Mata Machado. No cinema, produziu os filmes Arábia (lançado no Festival de Roterdam, 2017), Os Residentes (exibido na Berlinale, 2011) e A Vizinhança do Tigre (exibido no Festival de Hamburgo, 2015). Foi também produtora associada do longa-metragem Baronesa, de Juliana Antunes (exibido no FID Marseille, 2017). Os três filmes foram vencedores do Prêmio de melhor longa-metragem na Mostra de Tiradentes. Seu mais recente projeto, Os Sonâmbulos (longa-metragem em finalização), dirigido por Tiago Mata Machado, tem previsão de lançamento em 2018. Katásia Filmes também produziu alguns vídeos em parceira com a artista Cinthia Marcelle, exibidos em diversas exposições pelo mundo, como Buraco Negro, exibido na Biena de São Paulo, em 2010, Cruzada, vencedor do prêmio “The Future Art Project”, em Kiev, na Ucrânia, e Nau, exibido na Bienal de Veneza em 2017.

VASTO MUNDO é uma produtora sediada em Belo Horizonte, formada por Affonso Uchôa, Priscila Amoni e Ewerton Belico, dedicada a realizar projetos em cinema e artes plásticas. Vasto Mundo produziu os filmes A Vizinhança do Tigre, dirigido por Affonso Uchôa, exibido no Festival de Hamburgo (2015), Arábia, dirigido por Affonso Uchôa e João Dumans, lançado no Festival de Roterdã (2017), e Baixo Centro, dirigido por Ewerton Belico e Samuel Marota, vencedor da Mostra Aurora na 21a Mostra de Cinema de Tiradentes, em 2018, onde teve sua sessão de estreia. Além disso fez a curadoria e produção de diversas mostras de cinema, e participou da produção do CURA (Circuito Urbano de Arte), festival de arte urbana realizado em Belo Horizonte, com curadoria de Priscila Amoni

Fonte: Embaúba Filmes

Crédito da foto: Divulgação