Foto: Luís Alvarenga

Governo do Estado pode decretar feriado prolongado contra o avanço da Covid-19

O governador em exercício determinou o reforço da força-tarefa de fiscalização do Corpo de Bombeiros, em conjunto com as prefeituras municipais, para coibir a realização de festas clandestinas.

O governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro, se reuniu com integrantes do setor produtivo do estado e deputados, neste sábado (20/3), no Palácio das Laranjeiras, para discutir a adoção de novas medidas restritivas contra o avanço da Covid-19. Entre as ações sugeridas está a antecipação dos feriados de abril para criar um feriadão prolongado, de 26 de março a 4 de abril, reduzindo a circulação de pessoas nas ruas. Também como medida contra aglomerações, o governador determinou o reforço da força-tarefa de fiscalização do Corpo de Bombeiros, em conjunto com as prefeituras municipais, para coibir a realização de festas clandestinas.

Cláudio Castro anunciou, durante a reunião, a distribuição do maior lote de vacinas contra a Covid-19 para os 92 municípios do estado. Nesta segunda-feira (22/3), serão enviadas 759.100 doses, sendo 618.200 de CoronaVac para a primeira vacinação e 130.900 (CoronaVac) para a segunda. Também serão entregues 10 mil doses da vacina Oxford/Astrazeneca para aplicação da primeira dose em 26 cidades que possuem comunidades quilombolas. As vacinas foram entregues neste sábado (20/3) pelo Ministério da Saúde. Ao todo, desde o início da campanha, o Estado do Rio recebeu 2.716.120 doses, sendo 2.325.120 da CoronaVac e 391 mil da Oxford/Astrazeneca.

Diálogo aberto

O governador vem mantendo o diálogo aberto com representantes do setor produtivo e com prefeituras para adotar, com base em dados técnicos e científicos da Secretaria de Estado de Saúde, ações em conjunto contra o avanço da Covid-19 no estado. Na manhã deste domingo (21/03), Cláudio Castro se reúne novamente com os prefeitos do Rio, Eduardo Paes, e de Niterói, Axel Grael, no Palácio das Laranjeiras, para finalizar o documento com as medidas restritivas a serem adotadas na semana que vem.

– Toda decisão deve ser discutida e tomada diante das realidades dos mais diversos setores. Precisamos ouvir todas as necessidades e aflições do setor produtivo. A preocupação aqui é principalmente com a vida das pessoas, mas temos que preservar o emprego, dialogar e garantir o equilíbrio da sociedade. É fundamental analisar os dados diariamente para tomarmos as decisões corretas para cada momento da pandemia. E é isso que estou fazendo. Tudo com base em dados técnicos – explicou Castro.

Participaram da reunião, além do governador, o secretário de Estado da Casa Civil, Nicola Miccione; o secretário de Governo, André Lazaroni; o presidente da Fecomércio, Antonio Florencio de Queiroz Junior; a presidente da Associação Comercial do Rio de Janeiro, Ângela Costa; o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, Paulo Michel; o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, Pedro Hermeto; o presidente da Associação dos Supermercados do Rio, Pedro Paulo; o presidente do MetrôRio, Guilherme Ramalho; os deputados federais Dr. Luizinho e Hugo Leal, os deputados estaduais Marcio Pacheco (líder do Governo), Rodrigo Amorim e Léo Vieira, além de representantes de Firjan, Supervia,  Fetranspor, Sindicato dos Bares e Restaurantes do Rio, Associação de Empresas de Eventos, Apresenta Rio e Multiplan.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também

Museus do estado propõem debate enquanto comemoram data especial

Programada para ocorrer a partir desta segunda-feira, dia 17, até domingo, dia 23, a 19ª Semana Nacional de Museus terá como tema “O futuro dos museus: recuperar e reimaginar”, que propõe a reflexão sobre o futuro dos espaços, sem esquecer o compromisso criativo com o presente.