Foto: Divulgação/GovRJ

Governo do Estado inicia reforma das estações do Teleférico e anuncia projetos no Alemão

O investimento para as obras de recuperação das seis estações (Bonsucesso, Morro do Adeus, Morro da Baiana, Alemão, Itararé e Palmeiras) será de R$ 16,9 milhões.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

O Governo do Estado iniciou, nesta sexta-feira (18), as obras de reforma das seis estações do Teleférico do Alemão. O governador Cláudio Castro e o secretário de Estado de Infraestrutura e Obras (Seinfra), Max Lemos, assinaram o documento que reacende a esperança dos moradores do Complexo de ter novamente um modal de transportes que garantia a ligação entre a estação de Bonsucesso e a estação de Palmeiras em 16 minutos.

O governador frisou que estava ali para cumprir uma promessa que fez às lideranças do Alemão de atender a demandas prioritárias, como a recuperação do teleférico e a construção de 1.300 unidades habitacionais, resíduo ainda das obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), em 2010. Ao ser questionado por uma moradora sobre a construção das casas, Cláudio Castro respondeu que a licitação já tem data marcada.

“Estamos retomando hoje as obras do Teleférico do Alemão, que há anos faz uma falta imensa para os moradores, e já temos data para outras ações importantes para a comunidade, como a reforma dos conjuntos e a construção das unidades habitacionais. Foi uma promessa às lideranças do Complexo que estamos cumprindo”, afirmou o governador.

O investimento para as obras de recuperação das seis estações (Bonsucesso, Morro do Adeus, Morro da Baiana, Alemão, Itararé e Palmeiras) será de R$ 16,9 milhões. Construído em 2011, o Teleférico do Alemão, que tem 3,5 quilômetros de extensão e 152 gôndolas, suspendeu suas operações em 2016. A estação de Bonsucesso foi a que teve um volume menor de desgaste, já que estava integrada à estação ferroviária do bairro. 

Nas outras estações, haverá a recuperação das instalações hidráulicas, sanitárias, sistemas elétricos, de iluminação e controle, instalações mecânicas, ar condicionado, coberturas, esquadrias e ferragens, revestimentos e acabamentos, conforme as inspeções realizadas.

“Estamos iniciando hoje a reforma do teleférico, com a modernização do sistema, porque desde a época em que ele foi instalado houve avanços significativos no sistema de transporte. O novo teleférico será moderno e seguro, para garantir que os usuários tenham todo o conforto que merecem”, frisou Lemos.

Para Ademilton Barros, que mora no Morro do Alemão e está trabalhando na obra de recuperação das estações, o sentimento é de muita alegria nesse momento. Para ele, o teleférico levou a todas as comunidades do Complexo, principalmente às pessoas que moram nas áreas mais altas, a oportunidade de ter uma vida normal, de sair de casa.

“A chegada do teleférico permitiu que muitas pessoas com problema de mobilidade pudessem sair de casa e voltar a viver. A retomada do transporte traz para todos nós muita expectativa, como moradores, além de trazer trabalho não apenas nesse momento, mas permitir que o desenvolvimento econômico volte ao entorno das estações”, disse o funcionário.

Próximas etapas

As próximas etapas da licitação do Teleférico do Alemão serão a compra dos equipamentos para a retomada do teleférico, com investimento de R$ 115 milhões, e R$ 35 milhões para a instalação. Os editais devem ser lançados em breve.

“A escolha da estação da Baiana para este momento de retomada foi pensada porque esse é o coração do teleférico, todos os equipamentos ficam exatamente aqui. Iremos trocar toda a aparelhagem. Não será só a troca de uma peça ou outra, mas de todo o sistema, com equipamentos novos”, explicou o secretário.  

Novas unidades

O secretário Max Lemos adiantou que a licitação para a construção de 1.300 unidades habitacionais no Complexo do Alemão acontecerá no próximo dia 24 de abril. Ele afirmou ainda que estão sendo publicadas as licitações para a reforma do conjunto do Itararé no próximo dia 29 de março.

“Repatriamos os terrenos para a construção das unidades habitacionais e, como não haverá mais chamamento público, os nossos técnicos estão fazendo todo o projeto de infraestrutura e dos conjuntos, para a licitação em abril. Vamos zerar essa dívida”, concluiu o secretário.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.