Foto: Rafael Campos / Governo do Estado do RJ

Governador em exercício participa de inauguração do Memorial do Holocausto

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Luiz Fux, participou da cerimônia e destacou a Constituição Brasileira, que garante a todos o direito à vida
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

O governador em exercício, Cláudio Castro, participou, na manhã deste domingo (13/12), da inauguração do Monumento em Memória às Vítimas do Holocausto, no Parque Yitzhak Rabin, no Morro do Pasmado, em Botafogo. O espaço, que homenageia os 6 milhões de judeus assassinados na Segunda Guerra Mundial e todas as outras vítimas do regime nazista, terá uma exposição de longa duração e exposições temporárias, que serão abertas no ano que vem. O idealizador do Memorial foi o então vereador Gerson Bergher, já falecido, e que foi homenageado durante o evento.

– A inauguração deste monumento passa uma importante mensagem de respeito, amor, e tolerância, que é fundamental para a sociedade atual. Este discurso de polarização que é visto no mundo inteiro, principalmente na internet, gera ódio. E a história mostra onde isto pode chegar. Temos que recuperar a capacidade do diálogo – afirmou Cláudio Castro, antes de destacar que o espaço vai receber estudantes da rede pública para aulas de História.

A celebração foi iniciada com uma oração realizada pelo rabino Sergio Margules e respeitou um minuto de silêncio em memória ao banqueiro recém-falecido Joseph Safra, um dos patronos do memorial, assim como o presidente da Multiplan, José Isaac Peres, que esteve presente e discursou, e o presidente da Cyrela, Elie Horn, que participou através de videoconferência. O monumento é uma parceria entre a prefeitura da cidade do Rio de Janeiro com a iniciativa privada.

O presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Luiz Fux, participou da cerimônia e destacou a Constituição Brasileira, que garante a todos o direito à vida.

– O maior perigo da humanidade é a indiferença. Não lembrar do holocausto é matar todas as pessoas novamente – afirmou Fux.

O secretário especial de comunicação da presidência, Fábio Wajngarten, representou o presidente Jair Bolsonaro no evento, que contou com a participação do embaixador de Israel no Brasil, Yossi Shelley.

– Fiz questão de trazer a minha filha, pois não podemos esquecer das atrocidades da Alemanha nazista – afirmou Wajngarten, na mesma linha do embaixador. – O tempo passa e muitos podem esquecer o que foi o holocausto – disse Shelley.

O presidente da Associação Cultural Memorial do Holocausto, Alberto Klein, ressaltou:

– O memorial não é só para o povo judeu, e sim para toda a sociedade.

O prefeito Marcelo Crivella finalizou o evento.

– Aqui se construirá no coração de cada visitante um sentimento de repúdio à violência e à covardia e também um altar para celebrar a vitória sobre o holocausto, o triunfo dos homens livres – declarou Crivella.

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, enviou um vídeo especialmente para a celebração de inauguração, que também contou com a presença do ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Joel Ilan Paciornik, e do ministro das Minas e Energia, Bento Albuquerque.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.