O governador Luiz Fernando Pezão participará, nesta segunda-feira (5/11), às 18h30, da abertura da exposição “Cartografia da Africanidade Fluminense”, na Casa França-Brasil. Durante o evento, será assinado o tombamento do Cais do Valongo, patrimônio histórico e cultural do Estado do Rio de Janeiro e principal porto de entrada de escravos africanos no Brasil.

O Sítio Arqueológico Cais do Valongo, na Região Portuária do Rio, se tornou patrimônio histórico e cultural do Estado do Rio de Janeiro em outubro de 2017, após lei sancionada pelo governador e publicada no Diário Oficial do Estado.

O Cais foi o principal porto de entrada de escravos no Brasil na primeira metade do século XIX. Estima-se que desembarcaram ali mais de 500 mil africanos. Em 1843, o lugar foi remodelado para receber a noiva do imperador, Teresa Cristina de Bourbon, e passou a se chamar Cais da Imperatriz. Com as reformas urbanísticas da cidade do início do século passado, a área foi aterrada, sendo descoberta durante as escavações das obras de revitalização da Região Portuária. Em junho, o local foi declarado pela Unesco patrimônio histórico da Humanidade.

Durante a mostra, o público poderá conferir um lote de 500 raridades, feitas entre os séculos XVI e XIX. Entre elas, estão as litogravuras de Victor Frond, Debret, cerâmicas e gravuras de Rugendas, alguns dos destaques da exposição.

Serviço:

Data: 05/11 (segunda-feira)

Horário: 18h30

Local: Casa França-Brasil – Rua Visconde de Itaboraí, 78, Centro.

Fonte: GOVERNO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO