Golpe da maquininha: entregadores têm feito dezenas de vítimas em Petrópolis

Investigações da Polícia Civil (PC) apuram se os profissionais têm participação direta nos crimes ou se podem ter sido vítimas de algum tipo de golpe ou roubo de dados.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Aplicativos de delivery de comida estão sendo usados por criminosos para aplicar o chamado “golpe da maquininha” em Petrópolis. Entregadores dessas plataformas são suspeitos de envolvimento nessa nova modalidade de fraude, que tem feito dezenas de vítimas. Investigações da Polícia Civil (PC) apuram se os profissionais têm participação direta nos crimes ou se podem ter sido vítimas de algum tipo de golpe ou roubo de dados.

Segundo dados da PC, em 2019 a Cidade Imperial registrou 543 casos de estelionato – um aumento de 14% se comparado ao ano de 2018. Em 2020 esse índice subiu cerca de 41%, passando para 763 registros. Já nos sete primeiros meses de 2021, Petrópolis contabiliza 520 notificações e a expectativa é que, até o fim do ano, esse número ultrapasse o de 2020.

Entre os principais crimes de estelionato, estão a clonagem de Whatsapp e, agora, o “golpe da maquininha”. Neste último, os clientes dos aplicativos relatam dois tipos de golpes. Em ambos os casos, os golpistas digitam nas máquinas de cartão de crédito e débito valores bem superiores àqueles que afirmam estar cobrando. As vítimas, em geral, não percebem a fraude e colocam as suas senhas após solicitação do criminoso.

Em um dos golpes, o entregador afirma que houve problemas com a taxa de entrega, por isso será necessário efetuar o pagamento diretamente a ele. Em outro, comunicam supostos problemas com a entrega em si, também para que o valor total do pedido seja pago a ele.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.