Dando continuidade à programação das palestras sobre violência doméstica, que estão sendo realizadas pelo Gabinete da Cidadania, em parceria com a Secretaria de Educação e 106ª Delegacia de Polícia, a escola Municipalizada Santa Terezinha, em Vila Rica reuniu nesta terça-feira (21.05), mais de 50 alunos para o evento. A palestra foi ministrada pela delegada da 106ª DP, Juliana Zieh, com o objetivo de conscientizar e prevenir entre os jovens a violência contra a mulher.

Desde o mês de março, o Gabinete de Cidadania iniciou o ciclo de palestras na rede de ensino municipal, com o intuito de mostrar aos jovens todo os malefícios da violência doméstica, as consequências para a vítima e para família. Durante a palestra, a delegada apresenta todos os dados e as questões jurídicas envolvendo a agressão contra mulher, além de explicar o funcionamento da Lei Maria da Penha.

“É muito importante que a questão da violência seja discutida entre os jovens. Eles são o futuro da sociedade e poderão mudar esses números tão alarmantes de violência que tem acontecido em todo país. Nosso objetivo é alcançar toda a rede municipal de ensino junto com a delegada Juliana, que tem sido especial nessa parceria”, destacou a coordenadora do Gabinete de Cidadania, Anna Maria Rattes.

Segundo a delegada, Juliana Ziehe, que estava acompanhada dos inspetores da Polícia Civil, Lisboa e Rodolfo, é muito gratificante representar a Polícia Civil nas palestras. “Realizar as palestras nas escolas do município e ainda abordar o tema de violência doméstica falando junto com os adolescentes sobre a prevenção é muito gratificante. É importante que os adolescentes tenham participação na segurança cidadã, onde eles possam fazer denúncias diante de um crime de violência doméstica ou de um abuso sexual. Esse contato com a escola ele é de suma importância para o nosso município, para que eles se visualizem como integrantes da segurança pública”, frisou a delegada, que ainda ressaltou que o encontro estreita o laço do jovem com a polícia civil que estará à disposição para ajudar qualquer criança e adolescente vítima de violência doméstica.

Durante o encontro, os alunos do oitavo e nono ano, também conheceram toda assistência que a rede municipal oferece às vítimas, como o Centro de Referência de Atendimento à Mulher (CRAM) – com assistência social, psicológica e jurídica; Sala Lilás no IML, onde as mulheres recebem atendimento separadamente dos agressores e Sala Violeta onde agiliza o processo de medida protetiva para a vítima entre outros procedimentos jurídicos.

“A delegada conduziu com muito carinho a palestra que foi de muita importância para as nossas meninas. Elas ficaram sabendo que têm um lugar de apoio, alguém que possa ouvi-las em um momento de risco, de perigo e tão frágil. Acho que isso precisa ser espalho por todas as escolas e mostrar a voz da mulher e o espaço que ela tem na sociedade”, finalizou a diretora da Escola Municipalizada Santa Terezinha, Maria Aurea Albuquerque.