O futebol de campo foi a última modalidade em disputa dentro dos Jogos Estudantis Municipais (Jems). As partidas que encerraram a programação aconteceram no Estádio Atílio Marotti, o popular Campo do Serrano, na quinta-feira (05.10). Neste ano, 22 escolas participaram da competição que teve como novidade um ônibus disponibilizado pela Secretaria de Educação para buscar os atletas nos colégios e levá-los para os locais de disputa. Mais de mil alunos participaram da competição.

O Jems aconteceu em duas categorias: sub-13 e 15. As modalidades em disputa foram oito, sendo cinco coletivas: basquete, futebol de campo, futsal, handebol e vôlei; e três individuais: judô, tênis de mesa e xadrez. O superintendente de Esportes e Lazer de Petrópolis, Hingo Hammes, explica a importância do esporte, que é um instrumento para o desenvolvimento humano e de inclusão social.

“Mais que contribuir para a formação de algum atleta de alto rendimento, o esporte é sinônimo de bem-estar, disciplina e saúde. Neste ano conseguimos uma grande conquista, que é um ônibus disponibilizado pela Secretaria de Educação que deixam os jovens nos locais dos jogos. A prefeitura está trabalhando em conjunto para oferecer todo o suporte necessário para as escolas e também para os alunos”, disse Hingo.

Ao longo do ano o esporte estudantil movimentou a cidade. Na semana passada, terminaram os Jogos Estudantis Unificados de Petrópolis (Jeups). Ao todo, 41 escolas participaram da competição, que contou com 2.186 atletas inscritos e somou 242 horas de jogos. Nos esportes coletivos, foram 394 partidas em 40 dias de competição, somando 47 categorias diferentes, entre coletivas e individuais.

“Neste momento da vida, o esporte é fundamental. Os jovens garantem mais qualidade de vida, além da inclusão social dessas crianças. Ao todo, o Jems e o Jeups reuniram mais de três mil alunos, o que é um número bastante significativo para a nossa cidade”, afirma Hingo.

Transporte para os atletas no Jems é elogiado

A disponibilização de um ônibus da Secretaria de Educação para buscar as crianças nas escolas e levá-las até o local dos jogos recebeu elogios dos responsáveis pelas equipes.

“Foi excelente a medida da prefeitura. Dessa maneira não temos mais desculpa que o aluno não chegou porque não teve como ir. Já perdi partidas por falta de atletas nos anos anteriores e neste ano ficou tudo mais fácil”, disse Luciano Campos, treinador da Escola Germano Valente (Comac), uma das instituições que fez uso do transporte.

O secretário de Educação, Anderson Juliano, explica que a medida foi tomada para facilitar a vida dos alunos. “A nossa preocupação foi a segurança e conforto das crianças. O transporte garantido deixa os responsáveis mais tranquilos. Estamos muito felizes com a participação dos alunos da rede nos jogos. A atividade física é essencial para a saúde e o desenvolvimento desses jovens”, afirma.