Foto: Reprodução

Fósseis de dinossauros são descobertos por acaso em rodovia de São Paulo

Os fósseis encontrados são um pedaço de fêmur, um número, uma vértebra caudal e um dente.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Durante a duplicação de uma rodovia no interior do estado de São Paulo foram encontrados fósseis de dinossauros. Os restos mortais do animal já extinto foram encontrados em obras no quilômetro 58 da rodovia BR-153, na cidade de Mirassol, no último final de semana. Eles datam do período Cretáceo, quando os dinossauros foram extintos, e acredita-se se tratar de fósseis de titanossauro. Os titanossauros pertencem ao saurópodes, grupo característico por ser quadrúpede, herbívoro e de pescoço longo. Eles possuíam cerca de 12 metros de comprimento e 6 metros de altura, além de pesar cerca de 10 a 15 toneladas.

Os fósseis encontrados são um pedaço de fêmur, um número, uma vértebra caudal e um dente. Eles estavam enterrados a 10 metros de profundidade e foram descobertos na escavação de um barranco para construção da via dupla. “Eles estavam em um barranco que estava sendo escavado. Por estarem próximos, acreditamos que sejam todos de um mesmo animal, com exceção do dente, que foi encontrado a 30 metros dos demais” aponta William Nava, paleontólogo responsável pelo museu Museu de Paleontologia de Marília e que ajudou nas dez horas de escavação, ao portal de notícias “G1.

Os vestígios foram levados para o Museu de Paleontologia Pedro Candolo, na cidade de Uchoa, para serem estudados. A avaliação tem como objetivo descobrir se o achado se trata realmente de um membro da família titanossauro, e ver se é uma espécie já conhecida ou inédita. Quando o primeiro fóssil foi encontrado pelos trabalhadores, eles pensavam que se tratava de uma rocha de formação mineral. Ao procurar paleontólogos da região para a avaliarem, foi esclarecido que se tratava de um osso de dinossauro. O IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente) e a ANM (Agência Nacional de Mineração), órgãos competentes da área, foram notificados para dar início às escavações. 

“É um trabalho minucioso e demorado porque precisamos preservar o máximo possível do fóssil e termos cuidado porque era uma área de barranco. Quando escavamos a rocha encontrada pelos trabalhadores, logo nos deparamos com mais dois fragmentos fósseis. Apesar da profundidade, eles estavam muito bem preservados” disse Nava.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.