Nesta segunda (01), Ricardo Lewandowski, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), reafirmou a autoridade e vigência de sua decisão, emitida no última sexta (28), em que concede o direito à Folha de S. Paulo e ao jornalista Florestan Fernandes Júnior, de entrevistarem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, diretamente do local onde se encontra preso.

Lewandowski determina ainda que sua ordem seja cumprida imediatamente, sob pena de configuração do crime de desobediência.

Ricardo Lewandowski através de documento:

Em face de todo o exposto, reafirmo a autoridade e vigência da decisão que proferi na presente Reclamação para determinar que seja franqueado, incontinenti, ao reclamante e à respectiva equipe técnica, acompanhada dos equipamentos necessários à captação de áudio, vídeo e fotojornalismo, o acesso ao ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a fim de que possam entrevistá-lo, caso seja de seu interesse, sob pena de configuração de crime de desobediência, com o imediato acionamento do Ministério Público para as providência cabíveis, servindo a presente decisão como mandado.
Comunique-se ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região, à Juíza Federal da 12ª Vara Federal de Curitiba/PR.

Vale lembrar que nenhum outro meio de comunicação tem a mesma permissão, tornando a entrevista do jornalista Florestan Fernandes, exclusiva. Após ser condenado e considerado inelegível, Lula não falou com nenhum meio de comunicação.

Por: Gabriel Malheiros