De acordo com moradores, as queimadas de lixo verde estão ocorrendo com frequência na Estrada do Palmital, próximo ao SESC. Vizinhos dos locais onde há queimadas já chamaram o Corpo de Bombeiros, pediram ajuda na Secretaria do Meio Ambiente, para a Secretaria de Órgãos e Posturas e até mesmo para o Gabinete do Prefeito, mas ninguém até o momento resolveu a situação.

As crianças, mulheres grávidas e os idosos, que costumam ser mais sensíveis as mudanças no ambiente, são os que mais tem sofrido com esta situação que se agrava a cada dia. Com o calor a fumaça chega a sufocar.

As queimadas, para a vizinhança, são perigosas, porque não se sabe o tipo de lixo que está sendo queimado, se é tóxico ou não. Qualquer fumaça e o próprio tempo prejudicam bastante a parte respiratória de todos.

Para quem não sabe, existe uma lei que deveria coibir a prática de queima de lixo nos terrenos e em quintais das casas. A Lei de Crimes Ambientais (Lei 9605 de 12 de fevereiro de 1998, em seu art. 54) diz que, para quem causar poluição de qualquer natureza, que atinja níveis que resultem em danos à saúde humana, que provoque a mortandade de animais ou a destruição significativa da flora, a pena é de reclusão, de um a quatro anos, e multa.

Por outro lado, a fiscalização não parece estar sendo eficaz, já que os moradores entraram em contato com diversos órgãos, inclusive a Secretaria do Meio Ambiente, e nenhum deles apareceu no local para agir contra as ações. Segunda a Prefeitura, a responsabilidade de coibir esta prática no município é da Secretaria de Meio Ambiente que enviou nota, informando que irá verificar a situação e tomar providências. “Uma equipe do setor de fiscalização da Secretaria de Meio Ambiente irá ao local apontado para verificar a situação e adotar as providências cabíveis. Os telefones para denúncias são o (24) 2233-8180 e (24) 9.8828-8633. A população também pode comunicar os casos diretamente na Secretaria de Meio Ambiente, que fica no Centro Administrativo, na Av. Barão do Rio Branco, 2.846 – Centro. O horário de funcionamento é de 9h às 18h, de segunda a sexta”, diz a nota.

Cabe agora encontrar uma fogueira no local para que o autor das queimadas, consiga ser responsabilizado.