O mosquito Aedes aegypti é o transmissor da dengue, zika e chikungunya, doenças graves que, sem o devido cuidado, podem trazer grandes transtornos para quem é infectado, com risco de morte.

Você sabia que nem todas as pessoas infectadas pelo mosquito apresentam os sintomas? Em alguns casos, o paciente é assintomático, ou seja, não apresenta ou não constitui um sintoma. É o que explica o médico e professor epidemiologista da Universidade de Brasília, Pedro Luiz Tauil.

“Primeiro, o Aedes precisa estar infectado. Se não estiver infectado, não transmitirá os vírus que causam as doenças. Ele precisa ter o vírus da dengue, o vírus da zika, o vírus da chikungunya. Muitas pessoas são chamadas de oligossintomáticas e têm sintomas muito discretos, nem parecem que estão doentes. A maioria tem a forma clínica tradicional da dengue, por exemplo: febre, dor de cabeça, dores articulares, dores musculares. Você tem pessoas praticamente assintomáticas, até pessoas que morrem por essa doença”, explica.

Combater o mosquito é o método mais seguro para sua saúde e para impedir que histórias envolvendo o Aedes se repitam.

Basta seguir as recomendações do Ministério da Saúde: deixe ralos limpos e com aplicação de tela; limpe semanalmente ou preencha pratos de vasos de plantas com areia; e mantenha os reservatórios de água tampados – sua limpeza deve ser periódica, com água, bucha e sabão. Lembre-se de que a melhor forma de prevenção é eliminar possíveis criadouros.

Você já combateu o mosquito hoje? A mudança começa dentro de casa. Proteja a sua família. Para mais informações, acesse saude.gov.br/combateaedes.

Fonte: Agência do Rádio Mais