Fiocruz em Petrópolis comemora 10º aniversário

Seminários online reúnem convidados especialistas para debater temáticas intersetoriais de promoção da saúde e enfrentamento das desigualdades sociais
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Como parte dos eventos em comemoração de seu 10º aniversário, o Fórum Itaboraí: Ciência, Política e Cultura na Saúde, programa especial da presidência da Fiocruz em Petrópolis, realizará dois seminários online que vão discutir o transporte público e a fome em Petrópolis. A programação está alinhada à missão do Fórum, de contribuir com o fortalecimento do SUS e dos bairros populares de Petrópolis, além de promover permanentemente espaços de reflexão, geração de ideias e atividades de caráter intersetorial para formulações de políticas e práticas tendentes a reduzir as desigualdades sociais na saúde. Ambos eventos serão transmitidos pelo canal do YouTube da instituição (https://www.youtube.com/channel/UCHjK2jruJLs6R6hVdNlBYcg). 

“Transporte Público e Saúde: desafios e perspectivas em Petrópolis” será o tema do encontro online que acontecerá no dia 18 de outubro (segunda-feira), das 18h às 20h, e discutirá a mobilidade e o transporte urbano como questões essenciais do direito à cidade, dando destaque às condições de extrema concentração da mobilidade em direção ao centro do município. Já no dia 20 de outubro (quarta-feira), das 14h às 17h, acontecerá o seminário virtual “Segurança alimentar: há fome em Petrópolis?”, que abordará o agravamento das condições de segurança alimentar, em busca de caminhos para o enfrentamento da fome no município. O debate será também um preparatório para a Conferência Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, que acontecerá nos dias 22 e 23 de outubro na cidade. 

Programação: 

Transporte Público e Saúde: desafios e perspectivas em Petrópolis 

18h – 18h15 Abertura – Impacto da mobilidade urbana na saúde: Resultados do Diagnóstico Rápido Participativo – DRP e impactos do transporte público na pandemia de COVID-19. Felix Rosenberg, Diretor do Fórum Itaboraí 

18h15 – 18h35 – Mobilidade urbana e o direito à cidade – Luis C. S. Madeira Domingues, arquiteto urbanista pesquisador do PDCFMA/FIOCRUZ 

18h35 – 18h45 – O olhar da comunidade sobre o transporte público em Petrópolis – Cláudia Renata Ramos- liderança comunitária do Movimento do Aluguel Social e Moradia de Petrópolis 

18h45 – 19h05 – A experiência de Maricá (RJ) – Luiz Carlos dos Santos- ex- diretor presidente da Empresa Pública de Transportes (EPT) do município de Maricá-RJ 

19h05 – 19h25 – Transporte Público em Petrópolis- desafios e perspectivas- Luciano Moreira da Silva- Diretor-Presidente da Companhia Petropolitana de Trânsito e Transportes – CPTRANS 

19h25 – 19h35 – Perspectivas da comunidade: Célio Pereira – Membro do Conselho Local de Saúde do bairro Carangola- Petrópolis 

19h35 – 19h50 – DEBATE 

19h50 – 20h – Encerramento / Conclusões 

Segurança alimentar: há fome em Petrópolis? 

14h – 14h10: Mesa de Abertura – Felix Rosenberg, Diretor do Fórum Itaboraí, e Talita Berti, Presidente do Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável – COMSEA. 

14h10 – 14h40: A crise da fome no mundo e no Brasil – Francisco Menezes, integrante do Grupo de Trabalho da Sociedade Civil, da Agenda 2030. Presidiu o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional (CONSEA) de 2004 a 2007. 

14h40 – 14h55: A Insegurança Alimentar em Petrópolis, desafios para a política municipal – Rosane Borsato, Coordenadora da Comissão de Direitos Humanos na Câmara Municipal de Petrópolis e Ex-Secretária Municipal de Assistência Social. 

14h55 – 15h10: A Fome como problema público – Denise Tarin, Procuradora de Justiça de Tutela Coletiva. Coordena o Programa de Segurança Humana desde 2014. 

15h10 – 15h30: Canais alternativos e solidários de produção e comercialização de alimentos – Miriam Langenbach, membro e fundadora da Rede Ecológica. 

15h30 – 15h50: Escola Pública e Segurança Alimentar e Nutricional -PNAE, merenda escolar hortas escolares – Robson Patrocínio, Fiocruz Mata Atlântica, atua nos projetos Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional. 

15h50– 16h10 A Agricultura Urbana e a Agroecologia – instrumentos para Segurança e Soberania Alimentar – Lúcia Helena Almeida, Fórum Itaboraí, Eng. Agrônoma, Mestre em Agricultura Orgânica (UFRRJ / Embrapa). 

16h10 – 17h: Teses para a Conferência Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional COMSEA 2021- Felix Rosenberg. 

Fórum Itaboraí – Fiocruz 

Inaugurado em 18 de outubro de 2011, como um programa especial da Presidência da Fiocruz, o Palácio Itaboraí abriga o Fórum Itaboraí: Política, Ciência e Cultura na Saúde. O Fórum é um espaço permanente de reflexão e geração de ideias, que tem como principal objetivo reunir intelectuais, cientistas, artistas, gestores e usuários de educação e saúde do Brasil e do estrangeiro, para gerar formulações de políticas e práticas tendentes a reduzir as desigualdades sociais na saúde. O Fórum também desenvolve ações comunitárias que permitam pôr em prática atividades inter e transetoriais. Entre essas práticas se destacam: o Programa de Biodiversidade e Saúde, cujos principais projetos envolvem a agroecologia e plantas medicinais, além da Trilha do Arboreto, uma trilha urbana de 808 metros, com um acervo de mais de 400 espécies de plantas vivas e identificadas, sendo a maior parte delas medicinais, que visam disseminar e resgatar os conhecimentos tradicionais e populares do cuidado na saúde; a Orquestra de Câmara do Palácio Itaboraí – OCPIT; o desenvolvimento e aplicação de tecnologias sociais (como o Diagnóstico Rápido Participativo – DRP e a cartografia participativa) para o estudo participativo dos determinantes de saúde de territórios em Petrópolis e atuação articulada com outros setores, como o poder público e universidades, para o desenvolvimento local; incluem-se, ainda, a Biblioteca Livre do Palácio Itaboraí, com acervo focado nos Programas do Fórum e disponibilização de acesso a bibliotecas virtuais; atividades de apoio à capacitação tecnológica para trabalhadores de saúde; a investigação-ação participativa no campo da promoção da saúde; debates culturais, projetos, eventos e exposições de artes e cultura, entre outras. 

Fonte: Divulgação

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.