Marcelo Camargo/Agência Brasil

Fim de ano deve impulsionar crescimento das vendas em e-commerce

A tendência, no entanto, mesmo com a retomada aos poucos das atividades presenciais, é que as compras online se consolidem. 
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Com a pandemia, os e-commerces experimentaram crescimento, uma saída encontrada pelas empresas para continuar vendendo mesmo durante períodos de isolamento social. A tendência, no entanto, mesmo com a retomada aos poucos das atividades presenciais, é que as compras online se consolidem. 

De acordo com a Statista, empresa alemã especializada em dados de mercado e consumidores, as vendas no comércio eletrônico no mundo inteiro devem alcançar US$ 4,9 trilhões até o final do ano. No Brasil, pesquisa e-bit realizada pela Nielsen aponta que, até o final do ano, os e-commerces devem crescer 26% e atingir um faturamento de até R$ 110 bilhões.

Por isso, datas importantes do varejo eletrônico como Black Friday, Cyber Monday e Natal estão gerando grande expectativa para o comércio on-line. Porém, para o consumidor realizar suas compras despreocupado, o e-commerce precisa estar preparado. É preciso garantir que os acessos serão convertidos em compras e otimizar resultados para gerar impacto financeiro positivo.

Thiago Verçosa, CEO da Original.io, empresa que atua na otimização de e-commerces, afirma que o segredo para aumentar as taxas de conversão é a experiência do usuário. “O que pode realmente reverter uma situação de baixa conversão é o investimento na melhoria da experiência do usuário. É preciso arrumar a casa – o e-commerce – e tratar bem as visitas que chegam, para que se sintam à vontade, desfrutem com leveza do momento e queiram voltar sempre”, explica o CEO.

O que é importante analisar no e-commerce?

Uma boa experiência de compra não se limita apenas a um site visualmente bonito, mas também envolve a maneira como as informações são apresentadas, com categorias intuitivas, subcategorias claras e filtros para facilitar a navegação. Esse sistema pode ajudar quem está comprando a entender melhor como encontrar o produto que deseja.

“Pesquise tudo o que puder para encontrar brechas e gargalos na jornada de compra. Fazer esta análise de requisitos é fundamental para tomar decisões, com o apoio de métricas, e até mesmo para ter ideias que melhoram a experiência do consumidor”, recomenda Thiago Verçosa.

Para quem tem um e-commerce, alguns dados são muito importantes na hora de cruzar informações sobre taxas de conversão e vendas, melhorando os resultados. Thiago oferece algumas dicas para otimizar um e-commerce:

  • Eliminar o percentual de erro nas análises dos produtos comercializados;
  • Estimar o perfil de consumo por faixa etária e por persona;
  • Indicar o perfil predominante por dispositivo utilizado;
  • Capturar informações sobre participação em pedidos e em acessos;
  • Analisar a média de performance e conteúdo;
  • Verificar o histórico dos parâmetros utilizados por dimensão de categorias;
  • Registrar o histórico do tempo de carregamento;
  • Mensurar o volume de pedidos conforme as formas de pagamento;
  • Mensurar o consumo por região;
  • Quantificar os acessos gerados pelas mídias.

“O empreendedor sempre está buscando o sucesso e o acerto nas estratégias para o seu e-commerce decolar, mas, frequentemente, o que ele precisa para conseguir chegar lá está espalhado em diversas ferramentas. Dessa forma, desenvolvemos o Monitor para facilitar a reunião dessas informações e KPIs. Queremos que, o ano inteiro, o empreendedor saiba o que precisa para melhorar seu desempenho, mas principalmente que se destaque nas datas próximas que são muito importantes para o varejo, como Black Friday, Cyber Monday e Natal”, afirmou Verçosa.

Essa análise pode ser facilitada também por tecnologias que tornem as métricas mais visíveis e acessíveis, como o Monitor, ferramenta data science que mostra o acompanhamento de tudo o que acontece em um e-commerce, entregando dados on demand para quem está acompanhando as jornadas de compras dos consumidores. O sistema, que funciona como uma plataforma de análise de métricas de e-commerce, mesclando estatísticas de maneira escalável,  foi desenvolvido pela Original.io, especialista em experiência do cliente.

SEO e agilidade de carregamento

Fazer a otimização para mecanismos de buscas como o Google é uma estratégia que auxilia o consumidor a encontrar o e-commerce com mais facilidade na internet. Na prática, o SEO ajuda o site a se destacar diante da concorrência. Cerca de 89% das jornadas de compra dos consumidores começam pelos mecanismos de buscas, conforme pesquisa da Fleishmanhillard.

A linguagem mais simples e os menus destacados em um e-commerce também podem ser diferenciais para o consumidor navegar com mais facilidade e encontrar o que deseja. Fotos que carregam rapidamente e textos descritivos dos produtos também estimulam uma boa jornada de compra.

Estudo divulgado pela Amazon mostra que cada segundo a mais no carregamento de um site pode provocar uma queda de 7% na taxa de conversão. Isso pode significar um prejuízo de milhares de reais durante um ano para o e-commerce. A demora também influencia negativamente no ranqueamento no Google. Por isso, um site tem que oferecer carregamento rápido e ser fácil de navegar para que o usuário tenha sempre a melhor experiência.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.