Filósofo fala que este é o momento de assumir a responsabilidade dos seus atos O mundo inteiro está enfrentando um momento onde muito precisará ser revisto em um curto espaço de tempo, provocando a necessidade de adaptação nos âmbitos profissional, pessoal e social.

Assumir uma postura responsável e encarar a mudança de frente desde já é a chave para sobreviver e evoluir durante a crise, segundo o filósofo e psicanalista Fabiano de Abreu

Mais do que nunca estamos a depender de nós mesmos e de nosso poder de reinvenção para sobreviver à crise causada pela pandemia do novo coronavírus. O mundo inteiro está enfrentando um momento onde muito precisará ser revisto em um curto espaço de tempo, provocando a necessidade de adaptação nos âmbitos profissional, pessoal e social.

Neste contexto, o filósofo e psicanalista Fabiano de Abreu aponta que, mais do que nunca, o hoje é o momento ideal para assumir uma postura confiável e responsável: “Assumir a responsabilidade que lhe cabe não é só nobre, mas é uma forma inteligente de compensação. Se assumo uma responsabilidade eu não só mostro a minha competência como também crio uma atmosfera de confiança em meu entorno. Se sou responsável na minha profissão, ganho todo o necessário para que eu possa ser valorizado nela. O momento exige de nós mais do que responsabilidade, exige que nos coloquemos em ação criativa, que nos coloquemos cada um no seu lugar, que assumamos os postos que nos cabem, ou seja, que temos competência e habilidades para assumir.”

 

O valor do indivíduo e suas características contra o ostracismo

Abreu ressalta que cada um carrega dentro de si conhecimentos únicos e aponta a necessidade de utilizá-los em benefício próprio, mas também em benefício da humanidade: “Se não assumimos a nossa parcela de responsabilidade e acreditamos que nada podemos fazer diante dos fatos, a confiança nos abandona, e sem confiança não há motivação para ação, e sem motivação, nos entregamos a uma inação depressiva, que nos limita, e nos leva a desacreditar da nossa própria força e capacidade de reagir, ou até de mudar qualquer quadro negativo que se apresente em nossas vidas. Nos dias de hoje, ou assumimos a responsabilidade que nos cabe e decidimos agir para a melhoria não só da nossa situação financeira e de saúde, mas também, na medida de nossas capacidades, contribuir para que todos se beneficiem, ou permanecemos no silêncio e cairemos no ostracismo.”

 

Crises são oportunidades para o renascimento

O filósofo pontua que com a pandemia do covid-19, é chegada a hora de buscar novas competências, dentro das novas necessidades da sociedade: “temos que analisar o que o mundo precisa para tornamo-nos melhores, sermos o tipo de profissional que será essencial nos próximos anos. Isto é, se preparar, voltar a estudar se achar necessário. E é necessário.”

Abreu acredita que as dificuldades criam oportunidades: “São nos momentos mais difíceis, nas situações mais extremas que esperamos que todos sejam molas propulsoras, capazes de realizar, fontes de ideias criativas e possam assumir a responsabilidade para si, no intuito de ajudar a humanidade a evoluir.”

Outro ponto abordado pelo filósofo é a necessidade de estarmos abertos e sermos ensináveis diante deste novo cenário: “É preciso se abrir para a necessidade de mudar. Se deseja preservar sua saúde mental e psicológica, está na hora de se colocar em ação, se colocar a disposição de todos para que seu conhecimento, de qualquer natureza, seja utilizado para o bem e não resistir ao novo, permitir-se moldar e ser moldado.”

 

Vença o medo para vencer a crise

Como resultado da observação deste período difícil que estamos atravessando mundialmente, o filósofo refere que é preciso vencer o medo para superar a crise: “Assumir responsabilidades exige coragem, e para que a coragem surja em nós, precisamos nos desvincular do medo, ou fazer com medo mesmo. Devemos, agora mais do que nunca, reconhecer os nossos dons e talentos e dia após dia, aumentar essa gama de ação para que, com os nossa bagagem de experiências, possamos ser úteis, e nos tornar agentes transformadores para o bem. Pare de temer a vida e a morte.”

Fabiano de Abreu é membro da Mensa, associação de pessoas mais inteligentes do mundo com sede na Inglaterra conseguindo alcançar o maior QI registrado com 99 de percentil o que equivale em numeral a um QI acima de 180. Especialista em estudos da mente humana, é membro e sócio da CPAH – Centro de Pesquisas e Análises Heráclito, com sede em Portugal e unidades no Brasil e na Holanda.

 

Mini CV – Por favor não divulgar o cv
Fabiano de Abreu – Psicanalista, filósofo e jornalista
Registro 0.0543 0 Sociedade Brasileira de Psicanálise Clínica e CBPC
Registro Intel Reseller Tecnology – Especialista em tecnologia: 10381444
Registro FENAJ: 0035228/RJ
Registro Internacional: BR16791
Membro Mensa número: 1625BR
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também

Burnout materno: quando as mães estão esgotadas

Fazendo um paralelo, nos Estados Unidos já se usa o termo Mommy Burnout, em português “esgotamento materno”, para se referir ao mesmo quadro de sintomas sentido pelas mães que vivenciam uma intensa rotina materna e doméstica.