Paloma Vasconcelos de 21 anos e seu namorado Gabriel de 26 já planejavam matar dona Darcilene, mãe de Paloma. Pessoas próximas a família disseram que a vítima não tinha um bom relacionamento com o casal, proibindo o rapaz até de entrar dentro da sua casa. O crime segundo depoimento foi intencionado por questão passional que teve seu pico após um caso de aborto da filha da vítima. As investigações suspeitam da questão patrimonial ter motivado a ação.

O homicídio aconteceu na última terça-feira, 02 de outubro, mas a filha e seu parceiro não imaginariam que uma câmera escondida filmava tudo que acontecia no local do flagrante. O viúvo Seu Manel duvidou da causa da morte após enfermeiros do SAMU constatarem o óbito e pediu para que um técnico fosse até o local verificar as imagens. Nesse momento Paloma volta para casa como se nada tivesse acontecido e observando toda a situação, ela fugiu.

Amigos e familiares ficaram sabendo do ocorrido através do relato do viúvo, logo começaram o processo de negociação com os autores do crime. Um PM próximo a Paloma Vasconcelos conseguiu fazer com que ela se entregasse e uma equipe da Polícia Civil buscou seu namorado em casa.

Paloma confessou o crime, declarando que foi inspirada através de uma novela tele transmitida pela TV Globo, por isso o uso de ferramentas como o formol e a seringa. Ela também disse que conseguiu convencer o companheiro a participar da ação. Depois de se entregar, o casal se encontra fragilizado segundo Delegado responsável pelo caso, mas não demonstram ter problemas psicológicos e não apresentam antecedentes criminais.

Em coletiva de imprensa, o Delegado Titular da 105ª DP Cláudio Barros Teixeira e o adjunto André Prastes que investigam o inquérito policial, disseram que o casal foi autuado por homicídio duplamente qualificado e fraude processual, por manipularem a cena do crime, podendo pegar de 12 à 30 anos de prisão.

Na manhã desta quarta-feira (10), Paloma e Gabriel foram encaminhados para o presídio de triagem, localizado em Benfica, onde aguardam transferência. Não há data marcada para o julgamento do caso.

Por: Gabriel Malheiros