Festa da Cultura Afro-Brasileira entra para o calendário oficial da cidade

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

A inclusão de Festa da Cultura Afro-Brasileira no calendário permanente de festas do município foi um dos destaques da reunião do Conselho Municipal da Promoção da Igualdade Racial (Compir). O tema foi pauta da reunião ordinária realizada nesta quarta-feira (13.02), que destacou ainda a criação do calendário anual de ações do conselho e as vacâncias que estão disponíveis. Os conselheiros destacaram a Lei Municipal 7.749, assinada pelo prefeito Bernardo Rossi que torna fixo, no mês de novembro, na semana em que se comemora o Dia da Consciência Negra (20.11), a festa na cidade. No ano passado, foram 4 dias de festa que resgataram a história do povo africano e suas influências na construção da cultura brasileira.

De acordo com a lei sancionada pelo prefeito Bernardo Rossi, a festa será realizada pelo Compir em parceria com o Instituto Municipal de Cultura e Esportes (IMCE). O objetivo é celebrar a cultura afro-brasileira, valorizar o patrimônio sociocultural respeitando a diversidade, combater o preconceito racial e valorizar a história do povo africano.

“Além do nosso país, nossa cidade está ligada diretamente à cultura africana. Temos vários pontos turísticos que fazem parte dessa história, como Palácio de Cristal e Praça da Liberdade. A festa vem para celebrar este povo que contribuiu para nossa cultura e é mais uma atração para os turistas e mais uma movimentação econômica para a cidade”, destacou o prefeito Bernardo Rossi.

 A festa da Cultura Afro-Brasileira é um destaque no município, com atrações como rodas de conversas, exposições de artesanatos, oficinas de abayomi, dança do ventre, apresentações musicais, roda de capoeira, além da homenagem feita no busto do Zumbi dos Palmares na Praça da Liberdade.

“A lei trouxe e a garantia dos direitos da promoção da cultura afro-brasileira. Com essa legitimidade concedida pelo prefeito, independente da gestão, haverá sempre uma representatividade da cultura africana no município”, frisou a presidente do Compir Edna Queiroga.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.