Faperj investe mais de R$ 86 milhões em pesquisa para o enfrentamento da Covid-19

Foram pré-selecionados 27 projetos de nove diferentes instituições do estado do Rio de Janeiro, nos quais serão investidos mais R$ 6,125 milhões.

A Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Rio de Janeiro (Faperj), órgão vinculado à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação, já investiu mais de R$ 86 milhões em bolsas para cientistas e auxílios à pesquisa para o enfrentamento do SARS-CoV-2 de várias instituições do Estado do Rio de Janeiro. 

Em março de 2021, a Faperj, junto com a Secretaria de Estado de Saúde, o Departamento de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, divulgou o resultado da pré-seleção do Programa de Pesquisa para o SUS: Gestão Compartilhada em Saúde, sendo uma das linhas de investigação o SARS-CoV-2.


Foram pré-selecionados 27 projetos de nove diferentes instituições do estado do Rio de Janeiro, nos quais serão investidos mais R$ 6,125 milhões.


O programa fortalece a parceria da Faperj com o Governo Federal e tem o objetivo de incrementar a pesquisa científica e tecnológica no país, reduzindo as desigualdades regionais na área da saúde. O processo de seleção das propostas foi realizado em duas etapas: análise por revisores externos e avaliação por uma comissão de especialistas. Os grupos de pesquisa pré-selecionados serão convocados para sustentação oral do projeto a uma comissão de avaliação.



Os projetos pré-selecionados inserem-se em cinco eixos temáticos: inovação em arboviroses com ênfase em SARS-CoV-2 obteve nove propostas pré-selecionadas; para a temática de saúde materno-infantil, da mulher, criança e do adolescente são quatro projetos; cuidados de doenças crônico não transmissíveis e transmissíveis está com seis projetos; o eixo rede de atenção oncológica do Estado do Rio de Janeiro tem quatro projetos pré-selecionados; e inovação para sistematização de dados em saúde no Estado do Rio de Janeiro com outros quatro projetos concorrentes.

Segundo a diretora Científica da Faperj, Eliete Bouskela, os projetos selecionados para a próxima fase têm muito a contribuir ao avanço da pesquisa em áreas críticas do Estado como, por exemplo, na área de saúde materno-infantil, saúde da mulher, doenças crônicas não transmissíveis como obesidade e câncer e Covid.

– A pré-seleção de projetos desta edição já permite afirmar que estamos no caminho certo no combate aos problemas de saúde que mais assolam nossa população. Ter projetos que abordam temas que permeiam o contexto pandêmico que estamos vivenciando reafirma a importância desse tipo de fomento e da parceria com o Ministério da Saúde e a Secretaria Estadual de Saúde – disse.

Segundo o presidente da Faperj, Jerson Lima Silva, mais investimentos estão em planejamento para a comunidade científica fluminense. Lima Silva promete para breve o lançamento de edital para desenvolvimento de vacinas novas e acompanhamento de fase 4 das vacinas que estão sendo administradas, imunobiológicos e reposicionamento de fármacos contra a covid-19.

Para o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado do Rio de Janeiro, Dr. Serginho, a união com diferentes entes, como o Governo Federal, só mostra que é por meio de um trabalho conjunto que vamos continuar avançando em ciência, tecnologia e inovação.

– Neste momento de pandemia, essa relação harmônica se mostra ainda mais importante. Seguiremos fazendo a nossa parte pela Faperj, assim como por outras vinculadas, sempre em defesa do desenvolvimento científico fluminense – afirmou o secretário.

Fonte: Divulgação

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

veja também