Existe como tratar essa dor?

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Nos artigos anteriores falamos de dor e emoção e que se manifestam através do corpo em sintomas que são alertas sobre o que se passa em seu cérebro. É inútil tratar apenas com remédios e exercícios uma série de sintomas enquanto o verdadeiro problema se encontrar no inconsciente.

O estudo psicossomático e aplicação de técnicas específicas é uma possibilidade de atender o paciente de forma integral, percebendo a dor como sintoma e consequência de vários fatores, inclusive ou talvez principalmente, emocional.

Interpretar o adoecer do ser humano como uma das formas de expressão quando ele se encontra no limiar do sofrimento, pode ser hoje a ferramenta mais importante das clinicas de reabilitação. É responsabilidade do profissional da área da Saúde, buscar compreender essa forma de linguagem. Perceber que a manifestação física foi a única maneira que o cérebro encontrou para dizer que ele não está absolutamente, conseguindo lidar, de forma equilibrada, com as situações difíceis da sua vida modifica toda a nossa abordagem de atendimento.

Hoje eu irei abordar essa forma de ver começando te informando que esse conceito além de ser cientificamente comprovado, há um Há uma série de listas que podem te ajudar a saber quais as principais características das doenças psicossomáticas a mais usada é a PHQ-15 (Patient Health Questionnaire – 15 Itens), devido a suas propriedades psicométricas bem estabelecidas, brevidade e disponibilidade em vários idiomas. Ela foi elaborada por critério de pontuação e assim é possível determinar se os sintomas somáticos são mínimos, leves, moderados ou altos.

Não há uma regra, mas os fatores traumáticos pode ser o ponto inicial para alguém desenvolver esses sintomas Os gatilhos são em geral, causados por mudanças significativas que passamos em nossa vidas e elas são apenas a ponta do iceberg que remetem traumas anteriores

Todos nós passamos por problemas de ordem profissional: seja por excesso de trabalho ou pela falta dele, mas o significado que damos a esses conflito depende do que passamos durante nossa vida. Os  traumas e eventos marcantes: problemas familiares, perda de entes queridos podem nos deixar mais ansiosos e desmotivados com a vida, a violência psicológica: abuso físico, moral ou emocional, também são fatores a serem considerados; Além desses pontos, é importante prestar atenção no histórico familiar de transtornos psicossomáticos ou relacionados à ansiedade e depressão

Os sintomas mais comuns, no corpo físico são: taquicardia; dores de cabeça, nas costas braços, pernas ou articulações; baixa imunidade; queda de cabelo; insônia; tensão muscular; problemas no estômago; falta de ar; tonturas e outros mais.

É certo que há uma retroalimentação que podem nos confundir, sinto dor, fico triste, fico triste tenho dor em looping que como profissional da saúde precisa ser bastante investigado para evitar se entrar em uma cronificação que podem gerar uma piora do quadro.

O problema desse diagnóstico é que pode ser difícil entender que seus sintomas são causados pelo seus próprios sentimentos, o paciente não chega a clínica de forma precoce, a dor física quando instalada é sinal de agravamento da dor emocional. Ainda pode ter um outro fator bastante presente, que seria a impossibilidade de encontrar uma explicação física e/ou biológica para os sintomas.

Devemos lembrar que não há um exame para identificar doenças psicossomáticas. Cabe ao profissional de saúde realizar uma análise detalhada por meio de questionários clínicos. Sempre tendo em mente que conscientizar é uma das poucas forma de levar a cura, e que curar-se envolve encarar de frente os fantasmas que nos rodeiam e isto sem ajuda é uma batalha sangrenta e sem a certeza da vitória, profissionais de saúde capacitados precisam estar cada dia mais presente nas clinicas de reabilitação para otimizar a cura desde paciente que precisa derrotar vozes e modificar padrões já enraizados.


Sobre Noory Lisias

Noory Lisias é fisioterapeuta, formada na Universidade Católica de Petrópolis, Mestra em Psicologia, especialista em Análises de Sistemas Corporais e com pós-graduação em Neuroanatomia Funcional no Método Bobath de Estimulação Neurológica e no Método Kabat, atuando há mais de 25 anos tratando lesões neurológicas e psicossomáticas.

Além de diversas outras especializações como:

  • Barras de Access | Facelift e Corporal
  • Low Pressure Fitness | LPF
  • Método Maitland
  • Pilates
  • Reeducação Postural Global | RPG
  • Aparelho Genital Feminino
  • Programação Neurolinguística | PNL
  • Proprioceptive Neuromuscular Facilitation | PNF (Facilitação Neuromuscular Proprioceptiva)

YouTube: NooryLisias
Facebook: noorylisiasfisio
Instagram: @noorylisias
Site: noorylisias.com.br
https://linktr.ee/noorylisias

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

A dor de ser você

Na semana passada, eu falei sobre o João do Pulo um atleta brasileiro que apesar de sua genialidade sofreu um acidente que destruiu seus sonhos

Comentários estão fechados.