Ex-piloto Mário Olivetti morre aos 91 anos em Petrópolis

Olivetti fui tricampeão carioca e campeão brasileiro de marcas em 1970 em Curitiba com a Porshe.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

O ex-piloto Mário Olivetti morreu na noite desta quinta-feira (11/6) em Petrópolis. Ele estava internado por conta de uma fratura de fêmur ocorrida há quinze dias.

Olivetti fui tricampeão carioca e campeão brasileiro de marcas em 1970 em Curitiba com a Porshe.

História

Ele começou a trabalhar aos 13 anos de idade em um banco e na mesma época, estudou contabilidade, se formando e atuando pelo mesmo banco como contador. Seu sonho desde a infância era ser piloto. Iniciou a carreira de piloto em Petrópolis, em 1956 onde corria pela Citröen. Na primeira corrida, Niterói-Cabo Frio seu carro quebrou.

Mário Olivetti em junho de 1951.

“Eu acelerava muito aí o óleo não voltava, acabou o óleo e o motor bateu aí eu quebrei”, disse Olivetti em uma entrevista ao Coordenador da CAPDE Casa de Apoio aos Deficiente, Rafael Capita.

“Chamei meu mecânico e disse pra colocar 2 carburadores e 4 marchas ao invés de 3 e vamos fazer uma refrigeração maior, com isso o carro passou a ter de 150 km/h pra 180 km/h aí comecei uma sequência de vitórias nas corridas de Petrópolis, Volta Redonda, Rio-Caxambú entre outras”, complementou o ex-piloto.

Em 1970 correu pela Porshe, com o patrocínio da Hollywood, ganhou as três primeiras corridas de “subida de montanha”.

Olivetti chegou a conhecer o piloto Ayrton Senna no kart. Na época ele já estava meio afastado das pistas, mas acompanhava Andreas Mattheis que tinha acabado de ser tricampeão carioca.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.