Foto: Agência Senado

Ex-diretor do Ministério da Saúde é preso acusado de mentir à CPI da Covid

Roberto Dias foi convocado a dar explicações sobre as acusações de que teria pedido propina de US$ 1 por dose de vacina, nas negociações pela compra do imunizante da Covaxin, vacina produzida na Índia, além de ter pressionado um servidor a agilizar a aquisição.
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no twitter

Omar Aziz, presidente da CPI da Covid, determinou a prisão do ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Dias nesta quarta-feira (7). Segundo o Aziz, a decisão foi tomada porque Dias mentiu e violou o juramento de falar a verdade.

Esta foi a primeira prisão determinada pela CPI da Covid. O caso é um crime afiançável, já que segunda a Lei 10.268, o perjúrio “deixa de ser punível se, antes da sentença no processo em que ocorreu o ilícito, o agente se retrata ou declara a verdade”.

Roberto Dias foi convocado a dar explicações sobre as acusações de que teria pedido propina de US$ 1 por dose de vacina, nas negociações pela compra do imunizante da Covaxin, vacina produzida na Índia, além de ter pressionado um servidor a agilizar a aquisição.

Durante o depoimento, Aziz acusou Dias de mentir e omitir informações da comissão. “Chame a polícia do Senado. O senhor está detido pela presidência da CPI.”, disse Omar Aziz.

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no twitter
Twitter

veja também

Comentários estão fechados.