A 17ª edição dos Jogos do Interior do Grupo Abadá Capoeira exaltou a relação entre Petrópolis e a capoeira em toda a programação. Inédito na cidade, o evento proporcionou aos praticantes dois dias de treinamento para atletas iniciantes e avançados, palestras sobre a história da modalidade, além da disputa entre os 300 atletas inscritos. Capoeiristas de 30 cidades do Estado participam do torneio em seis categorias: infantil, juvenil, corda laranja até laranja e azul; corda azul até azul e verde; corda verde até a verde e roxa e da corda roxa até a marrom. Ao todo, mais de 500 pessoas participaram das atividades, que começaram na quinta-feira (28.06) e terminaram no domingo (01.07).

A história da capoeira começa no século XVI, na época em que o Brasil ainda era colônia de Portugal. Naquele período, a mão de obra escrava africana foi muito utilizada no país, principalmente nas fazendas produtoras do nordeste brasileiro. Com o passar do tempo, os escravos perceberam a necessidade de desenvolver formas de proteção contra a violência e repressão dos colonizadores. A proximidade entre Petrópolis e a modalidade está na guarda da família real, já que seus integrantes utilizavam a técnica como forma de defesa.

“É importante ressaltar também que Dom Pedro I era um excelente capoeirista. Petrópolis tem uma ligação forte com a modalidade, que é muito mais que um simples combate”, afirma Mestre Camisa, fundador Grupo Abadá Capoeira, garantindo que a capoeira também garante mais saúde, qualidade de vida, além de contribuir na formação das crianças e adolescentes.

“Os Jogos do Interior servem como uma preparação para o estadual e para o campeonato brasileiro. Mas é importante ressaltar que o evento não é apenas um torneio, mas também conta com treinamentos, palestras, e a participação de pessoas de todas as idades. A cidade abraçou o evento e estamos muito satisfeitos com o resultado”, completou o Mestre.

Presente na abertura do evento, o superintendente de Esportes e Lazer, Hingo Hammes, destacou a importância da capoeira na formação dos jovens. A modalidade é oferecida dentro da programação do Programa de Esporte e Lazer da Cidade (PELC), que atende regularmente 1.200 pessoas em três locais: Quitandinha, Carangola e Posse.

“A gente mantém uma parceria importante para a cidade com o Grupo Abadá Capoeira, contribuindo nos projetos sociais. Além disso, o Mestre Camisa é cidadão petropolitano, sendo reconhecido internacionalmente pelo trabalho feito dentro da capoeira. A presença dos Jogos do Interior também funciona como estímulo para os jovens praticantes da nossa cidade”, disse Hingo, lembrando que a prefeitura está oferecendo apoio as mais diversas modalidades esportivas na cidade.

Além da capoeira, Petrópolis recebe esse ano etapas estaduais de esgrima, ciclismo, enduro de regularidade de moto e rally, somando mais de 90 eventos até o final do ano. O calendário esportivo do município até o final do mês de julho está disponível no site da prefeitura.

“Garantimos apoio a diversas modalidades esportivas, contribuindo para o fomento da prática de atividades físicas no município. O esporte é uma ferramenta de prevenção, garantindo mais saúde e bem-estar para a população. Trabalhamos para que a população da cidade esteja mais ativa”, completa Hingo.