Ainda faltam três meses para o verão, mas a falta d’água pode chegar mais cedo neste ano. Por conta da estiagemo Rio não vê chuva desde o fim do mês passado e a secura vai continuar nos próximos dias, moradores de Niterói, São Gonçalo, Paquetá, Itaboraí e Maricá (em Inoã e Itaipuaçu) já estão sendo afetados por problemas no abastecimento do sistema Imunana-Laranjal, da Cedae.

A concessionária informou que a estação teve sua capacidade de tratamento d’água afetada pela baixa dos rios Guapiaçu e Macacu, devido ao tempo seco e o sol forte que predominam em toda Região Sudeste. Essa situação foi agravada nos últimos dias, exigindo a realização de operações excepcionais que afetarão o fornecimento à população dos municípios.

No site criado pela Cedae, com dicas de consumo consciente da água

(www.todagotaconta.com.br), um alerta informa que os níveis de reservatórios estão entre os mais baixos da história. Para não ter torneiras secas, moradores dos locais abastecidos pelo Imunana-Laranjal devem economizar água e tomar medidas para não haver desperdícios, como tomar banhos mais rápidos, checar se há vazamento d’água e evitar o uso de mangueiras.

A estação Laranjal, segunda maior do estado, atende cerca de 2 milhões de habitantes. Em agosto, a instalação de uma nova adutora elevou a capacidade de produção de água tratada de 6,5 mil para 7 mil litros por segundo, mas a produção plena da estação só deve ser restabelecida a partir das próximas chuvas.

Segundo Josélia Pegorim, meteorologista do Climatempo, a massa de ar seco que se estabeleceu sobre o Sudeste só deve ser rompida na mudança de estação, permitindo a chegada das frentes frias. Há expectativa de chuva para o primeiro final de semana da primavera, que começa no dia 22 de setembro. A metereologista também prevê que deve chover com maior regularidade no mês de outubro, especialmente na segunda quinzena, inclusive com incidência de temporais.

 

Via: ODIA